Nobody Speak, Trials of the Free Press é um dos melhores docs em cartaz no Netflix

Nobody Speak, Trials of the Free Press é um dos melhores docs em cartaz no Netflix

Filme mostra a guerra do poder econômico contra a liberdade de expressão

Donald Trump, Peter Thiel e outros bilionários americanos tem feito de tudo para acabar com a liberdade de expressão nos Estados Unidos. No caso de Donald Trump a luta é diária, desmoralizando a imprensa como um todo através das redes sociais ou mesmo num corpo a corpo com jornalistas em coletivas. Já no caso do empreendedor do Vale do Silício, Peter Thiel, a participação nessa empreitada foi mais sutil, mas não menos nociva. Junto com outros empresários eles tem usado seu poder econômico numa escalada para calar a imprensa e estão conseguindo avançar bastante nessa guerra.

Nobody Speak, Trials of the Free Press estreou no festival Sundance de 2017 e foi exibido na abertura do South By Southwest 2017. O documentário de Brian Knappenberger acaba de entrar na programação do portal de streaming Netflix. Knappenberger tem em seu currículo vários documentários que tratam de ameaças ao direito à informação na era digital. Em We Are Legion: The Story of the Hacktivists ele conta a história do grupo Anonymous. Já O Menino da Internet: A História de Aaron Swartz fala do garoto prodígio, fundador do Reddit, que se suicidou anos atrás após uma guerra contra o governo americano por defender a publicação gratuita de obras de domínio público como estudos médicos e científicos.

Em seu novo documentário o diretor mostra três grandes exemplos de como empresários tem atuado para silenciar a imprensa. O primeiro caso é a briga judicial de Hulk Hogan contra o site de fofocas Gawker. Hulk Hogan é o nome artístico do lutador de luta livre profissional dos anos 80, Terry Bollea, uma figura muito popular nos Estados Unidos. Gawker foi um dos mais peçonhentos sites de fofocas que já existiram. Em outubro de 2012 o site publicou 2 minutos de um vídeo de sexo explícito onde Terry Bollea transava com a mulher de seu melhor amigo.

Conteúdo relacionado:

O vídeo, obviamente gravado sem o consentimento de Bollea, foi publicado inclusive com 10 segundos de sexo explícito. Terry Bollea processou o site pedindo 100 milhões de dólares de indenização. Ele tinha dinheiro para financiar essa ação judicial caríssima? Como a defesa manobrou para conseguir levar a ação para um tribunal da Flórida, um dos estados mais conservadores dos Estados Unidos? O que o empresário do Vale do Silício Peter Thiel tem a ver com tudo isso? Nove anos antes o Gawker havia publicado que Peter Thiel é gay e até então ele jamais havia se assumido homossexual.  Peter Thiel hoje é assumido publicamente, inclusive falou sobre isso em comícios de Donald Trump durante a campanha. O documentário mostra passo a passo a diabólica estratégia utilizada pela defesa de Hulk Hogan que conseguiu não só ganhar a ação como arruinar e fechar o Gawker.

O segundo caso mostrado por Nobody Speak, Trials of the Free Press é a venda do principal jornal de Las Vegas a um bilionário dono de cassinos. O filme mostra a movimentação da cúpula de jornalistas da redação, a princípio para descobrir quem havia comprado o jornal e depois brigando para conseguir publicar a notícia sobre a venda.

O terceiro exemplo de guerra contra a liberdade de expressão é o que Donald Trump tem feito nos últimos anos, desde quando iniciou sua campanha para a presidência. O astro de reality TV tem conseguido limitar a ação da imprensa aproveitando-se do ruído das redes sociais.

Nobody Speak, Trials of the Free Press mostra a importância e a fragilidade da imprensa livre e ao mesmo tempo acende um alarme: estão por vir ainda piores ataques à imprensa. O futuro parece aterrador. Quem tem autoridade ou direito de decretar qual conteúdo é de bom gosto ou não? A liberdade de expressão deve ser defendida mais que nunca, mesmo a liberdade daqueles veículos que publicam vídeos de sexo explícito de lutadores de luta livre na terceira idade.

Deixe um comentário:

comments

Powered by Facebook Comments