Documentário mostra a incrível jornada da WeWork

Bitsmag
Adam Neumann WeWork

Filme faz apanhado da história de empresa que chegou a ser avaliada em 47 bilhões de dólares e implodiu

Um dos bons documentários lançados durante o SXSW 2021, que foi totalmente online, é WeWork: Or the Making and Breaking of a Unicorn. Com patrocínio da Revista Forbes o filme tem direção de Jed Rothstein e produção de Ross Dinerstein, da Campfire.

Primeira produção em filme da Forbes Entertainment, o documentário mostra como a empresa de coworking fundada por Adam Neumann chegou aos 47 bilhões em valor de mercado e como, logo após esse marco, desabou depois de várias alegações contra o comportamento errático e excêntrico do fundador. O crescimento e a queda meteórica consequentemente implodiram o que seria abertura de IPO da empresa e Neumann foi deposto de seu cargo de CEO.

O mundo corporativo tem fornecido à humanidade algumas figuras que se tornaram folclóricas, como Howard Hughes, retratado no filme O Aviador, ou Jordan Belfort, de O Lobo de Wall Street. Enquanto o primeiro vem de uma era do empreendedor como um herói que fazia as coisas acontecerem, o segundo é o tipo de herói bem conhecido no Brasil, que segue a lei de Gerson, levando vantagem em tudo, mas que não constrói nada.

Você também pode se interessar:

  1. LadyBunny-Wigstock-HBO

Adam Neumann, fundador da WeWork, é um “guru” empreendedor de uma era diferente. Mais antenado com a tendência de Silicon Valley, Neumann, um israelense radicado nos Estados Unidos, transformou um negócio relativamente simples, e nada tecnológico, diga-se de passagem, em uma empresa unicórnio, super valorizada, que foi dos 47 bilhões de dólares em capital de mercado, a zero em poucas semanas.

A história de WeWork e de seu fundador se assemelha muito à da Theranos, empresa que pretendia criar um exame de sangue barato a qual, infelizmente, mesmo depois de conseguir bilhões de dólares em investimento, falhou de forma espetacular. É a mentalidade do “fake it till you make it”, ou seja, “finja que conseguiu até realmente conseguir”. Tanto Adam Neumann quanto Elizabeth Holmes (Theranos) se transformaram em personagens carismáticos que conseguiram encantar investidores, seguidores e funcionários. Tanto ele quanto ela não conseguiram enganar todo mundo o tempo todo.

O que é coworking? O plano de negócio da WeWork é basicamente simples: a empresa aluga escritórios grandes e os subdivide em pequenas áreas de trabalho, sublocando esses espaços para pequenos empreendedores e trabalhadores freelancer, com contratos de pequena duração.

No início do negócio o modelo funcionou bem. A WeWork conseguia colocar mais gente nos espaços do que se fossem alugados como escritórios comuns. Mas havia um risco óbvio: o que poderia acontecer se houvesse uma nova recessão e os clientes desaparecessem?

O documentário mostra, através de entrevistas com jornalistas e ex-funcionários da empresa, passagens inacreditáveis ilustrando a arrogância e a ambição de Adam Neumann, e também seu eletrizante carisma.

O filme mostra ainda o perfil dos clientes da WeWork: empreendedores, principalmente homens e mulheres brancos, interessados não só em um espaço para trabalhar mas também em um refúgio social, como a participação em um clube. Aí entrava a diferenciação da WeWork que investiu na marca e no engajamento dos clientes através de eventos sociais como um acampamento de verão.

Foi enaltecendo esse engajamento da clientela que a WeWork conseguiu seguir o modelos de Silicon Valley, criando uma plataforma com efeitos de rede, além de uma marca.

O documentário mostra a jornada de seus fundadores desde a explosão da empresa em 2013, quando valia cerca de 1,6 bilhões de dólares, até chegar aos inacreditáveis 47 bilhões de dólares em valor de mercado. A questão é que a empresa não estava lucrando o que deveria lucrar e mesmo assim investidores continuavam fazendo jorrar dinheiro nas mãos de Adam Neumann.

O que parecia ser uma galinha dos ovos de ouro acabou se mostrando mais um conto do vigário. Adam Neumann acabou sendo removido da empresa em 2019.

O diretor Jed Rothstein fala sobre como seu ponto de vista foi se transformando no decorrer da produção: “Eu achava que esta história fosse sobre finanças, mas descobri que na verdade é sobre comunidade. É sobre quem constrói essa comunidade e quem trai essa comunidade”.

Além do documentário WeWork: Or the Making and Breaking of a Unicorn, a jornada de Adam Neumann e de sua esposa estão sendo retratados numa série de ficção. O seriado está sendo produzido pela Apple + e é baseado num podcast da Wondery, WeCrashed. Nos papéis principais estão Jared Leto e Anne Hathaway.

No momento o documentário está sendo exibido com exclusividade na plataforma de streaming americana Hulu e não tem data de estreia no Brasil.

Bitsmag