Oscar 2022 fica para a história como palco de agressão

Bitsmag

Premiação tinha meta de aumentar a audiência da festa que vem diminuindo todo ano. Conseguiu o intento de forma inesperada.

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

Mais uma premiação do Oscar, ainda em ritmo de pandemia. Um pós-pandemia bastante eufórico, como todos os eventos que estão acontecendo no momento. As pessoas querem tanto sair e se divertir, depois de dois anos de confinamento, que os ânimos estão um pouco fora de ritmo, meio acelerados, alguns descompassados.

O episódio do tapa de Will Smith no comediante Chris Rock com certeza fica para a história da premiação. Um episódio absolutamente lamentável, uma violência injustificável. Sim, não tem graça nenhuma fazer piada de uma condição física de outra pessoa. No entanto não se sabe se Chris Rock sabia da condição de saúde de Jada Pinkett Smith. Ela sofre de alopécia, uma doença auto-imune que faz cair o cabelo. Jada tem um programa de entrevistas no Facebook Watch e tornou pública sua situação em 2021. Mas eu mesma havia esquecido disso, tanto que demorei a entender o que estava acontecendo. É bastante improvável que Chris Rock soubesse que o look careca de Jada era consequência de uma doença.

Para quem não sabe, o filme GI Jane, tema da piada de Rock, é sobre uma soldado americana interpretada por Demi Moore. É uma heroína e não há nada de pejorativo em ser chamada de GI Jane, ainda mais que a personagem é interpretada por uma das atrizes mais bonitas de Hollywood.

De qualquer forma, com certeza é compreensível que Jada tenha ficado magoada com a piada e que seu marido tenha tomado as dores de sua esposa. O que não se pode admitir de maneira nenhuma é a agressão física. Will poderia ter falado tudo que falou, responder à altura, mas jamais dar um tapa em qualquer pessoa, principalmente em um programa transmitido para milhões de pessoas no mundo todo.

Em um cenário entre pessoas “normais”, não estrelas de Hollywood, Will teria sido preso ali mesmo, no palco. No entanto ainda foi aplaudido de pé quando ganhou o Oscar de melhor ator, minutos após estapear um comediante no palco. (Veja abaixo Jim Carrey comentando o incidente).

Enfim, ainda bem que aconteceu já no final da festa, porque os ganhadores dos prêmios anunciados depois da agressão foram totalmente eclipsados pela repercussão do caso.

O documentário Summer of Soul, ganhador do Oscar deste ano nessa categoria, é uma das melhores notícias dessa premiação. O DJ e produtor Questlove, que comanda a banda do apresentador Jimmy Fallon em seu programa de entrevistas noturno, compilou imagens que estavam inéditas há mais de 50 anos e editou o filme. É ouro puro, um festival de soul e rhythm’n blues no Harlem, o Harlem Cultural Festival, que aconteceu em 1969 num parque ao ar livre (Mount Morris Park, hoje chamado de Marcus Garvey Park). Tem presença de Stevie Wonder e Nina Simone, além de Gladys Knight, entre muitos outros. Summer of Soul estreia nos cinemas no Brasil esta quinta.

Jessica Chastain finalmente venceu o Oscar, após ser indicada várias vezes. O filme Os Olhos de Tammy Faye ainda não estreou no Brasil e aqui pouca gente conhece o trabalho da atriz nesse papel. Eu já vi e ela era minha favorita entre as indicadas. O filme estreia no Brasil dia 6 de abril com exclusividade na plataforma de streaming Star +.

Quanto à apresentação da festa, ficou com o trio de comediantes Amy Schumer (no momento estrelando o seriado Life & Beth), Wanda Sykes e Regina Hall. Amy é a mais experiente nesse tipo de trabalho, ela é profissional de comédia stand-up. Wanda e Regina ficaram um pouco atordoadas, mas no final um apanhado de boas piadas salvou a festa.

Amy fez o público rir quando citou o ativismo de Leonardo Di Caprio, cutucando o fato de que o ator só namora mulheres bem mais novas que ele: ‘Leonardo DiCaprio, what can I even say about him? He’s done so much to fight climate change and leave behind a cleaner, greener planet for his girlfriends.’ (O que dizer de Leonardo Di Caprio? Ele já fez tanto para combater as mudanças climáticas, deixando um planeta mais limpo e verde para suas namoradas).

Regina Hall brincou com Judi Dench que havia acabado de perder o Oscar de melhor atriz coadjuvante para Ariana DeBose. Ela disse: “We’ve got an inspirational quote for you, Judi Dench. This is from Kim Kardashian, ‘Work harder,’ e ‘Move that ass, Dame’ (Temos uma citação inspiradora para você, Judi Dench. É de Kim Kardashian, ‘Trabalhe mais’ e ‘Ponha essa bunda para se movimentar’). A câmera mostrou Judi Dench morrendo de rir da piada.

Judi, britânica, adora uma piada. No tapete vermelho ela foi entrevistada por Guilhermo, da equipe do talk show de Jimmy Kimmel. Ele perguntou a ela se ela gostaria de mandar um recado para o homem com quem ela perdeu a virgindade. Ela riu muito e disse que ele já havia morrido há muito tempo.

Uma outra tirada de Regina Hall foi quando ela chamou ao palco vários galãs dizendo que eles tinham de fazer exame de Covid, entre eles Timothée Chalamet e Bradley Cooper. Ela disse que está solteira e que iria levá-lo para os camarins para fazer o “teste”.

Entre os números musicais se destaca a apresentação de Beyonce que foi gravada em Compton, em cenário totalmente em tons de amarelo.

Houve ainda uma homenagem a Pulp Fiction com Uma Thurman, John Travolta e Samuel L Jackson, mas sem Tarantino, o que ficou realmente muito estranho. Teria ele sido convidado e não aceitou?

As três apresentadoras se esforçaram bastante para tentar levantar a audiência da maior premiação do cinema mundial. No entanto a edição de número 94 dos Oscars ficará para sempre marcada pelo episódio Will x Chris.

Chris Rock sabia que todo mundo o odiava, mas não contava com um maluco no pedaço…

Veja abaixo a reação de Jim Carrey ao episódio:

Bitsmag