Novo trem Italo vai de Milão a Nápoles

Bitsmag

Trem Italo vai de Milão a Nápoles

Trem de alta velocidade quebra monopólio do transporte ferroviário na Itália

Um consórcio que envolve a Ferrari (Luca Cordero di Montezemolo), a Tod’s (Diego Della Valle), um punhado de empresários italianos e tem ainda como acionista a SNFC, dos trens de alta velocidade franceses TGV, com 20%, a NTV (Nuovo Trasporto Viaggiatori) acaba de inaugurar na Itália uma nova linha ferroviária que vai de Milão a Nápoles.

O projeto do Italo começou a ser desenvolvido há quatro anos e em 28 de abril aconteceu a viagem inaugural.  Os moderníssimos trens são produzidos pela empresa francesa Alstom, a mesma que fabrica o TGV. Viajando em velocidades de cerca de 300 quilômetros por hora, o Italo é mais barato que seus competidores, seja nos trilhos, pelas estradas ou pelo ar. Além disso o novo trem tem menor impacto no meio ambiente, é mais silencioso e gasta menos energia.

O Italo não tem locomotiva e o motor é distribuído pelos vagões. Em seu interior oferece três classes de acomodações: Club, Prima e Smart, respectivamente primeira classe, executiva e econômica. Todas oferecem wi-fi e opções de entretenimento e alimentação.  Com uma tecnologia chamada UMTS o Italo é perfeito para falar no celular, mesmo quando passa por túneis. Cabos de fibra ótica conectam cada vagão com uma antena satélite o que garante um sinal cristalino. A empresa tem também um portal de internet que mostra cultura, entretenimento e demais informações turísticas sobre cada destino da viagem.

Na classe Club, a mais luxuosa do Italo, os passageiros podem se acomodar em poltronas bem confortáveis e com bastante espaço. Dois compartimentos especiais oferecem lugares para famílias viajarem juntas ou para que executivos possam fazer reuniões enquanto viajam. Nessa área do Italo é servido café e são distribuidos jornais e todas as poltronas têm uma tela touch screen onde o passageiro pode assistir TV ou uma seleção de filmes.  Podem ser servidas refeições a um custo entre 18 e 22 euros, tanto na classe Club como na Prima. Não existem vagões de restaurante já que no desenvolvimento do projeto a NTV descobriu que os passageiros hoje em dia não querem se separar de sua bagagem por medo de roubos. Existe ainda uma área chamada Relax onde os celulares devem ser desligados.

Na classe econômica não são servidas refeições mas existe uma variedade de bebidas e lanches que podem ser comprados em máquinas. Em viagens mais longas um vagão de cinema é oferecido, mas os passageiros devem pagar para ver a programação de TVs. Os assentos são confortáveis e as janelas são muito maiores do que em outros trens de alta velocidade na Europa.

O preço é dos mais convidativos e, provavelmente, hoje é a opção de viagem mais econômica entre Nápoles e Roma, que pode sair por 20 euros. A mesma viagem no trem de alta velocidade da Trenitalia, companhia nacional de trens do país, custa quase o dobro que o Italo e é um pouco mais demorada. Pelo mesmo preço existem somente os trens convencionais que levam o dobro de tempo para percorrer o mesmo trajeto. O Italo é também mais barato que a viagem de 221 quilômetros de carro entre Nápoles e Roma, que vai custar pelo menos 40 euros entre pedágio e combustível. De avião o mesmo trajeto pela Alitália custa cerca de 200 euros.


Novo trem Italo vai de Milão a Nápoles