O homem mais odiado da internet

Bitsmag

Netflix estreia seriado documental sobre site que recebia e promovia imagens íntimas não autorizadas

Processando…
Sucesso! Você está na lista.

Está em cartaz na Netflix o seriado documental O Homem Mais Odiado da Internet. Com três episódios, o seriado é produzido pelos mesmos criadores de Golpista do Tinder e Don’t F**k With Cats: Uma Caçada Online

E não, o homem mais odiado da internet não é o filho do abominável presidente da república, nem o blogueiro Allan dos Santos. No caso essa versão de criatura ignóbil é dos Estados Unidos e se chama Hunter Moore.

Em 2010 Moore produzia o website IsAnyoneUp.com que divulgava imagens de pornografia de vingança. Em 2012 ele foi “eleito” o homem mais odiado da internet num artigo da revista Rolling Stone

IsAnyoneUp publicava fotos íntimas que eram enviadas pelo público e sem consentimento dos retratados. O site durou cerca de um ano e meio. 

A plataforma permitia que usuários enviassem imagens íntimas de mulheres, principalmente de ex-namoradas. Os envios eram geralmente acompanhados de informações pessoais dos retratados como nome completo, perfil nas redes sociais e endereço. Essa prática hoje se chama doxing.

Uma dessas mulheres retratadas no site, sem consentimento, é bom frisar, é filha de Charlotte Laws. Ela se aliou a James McGibney para dar um fim ao site IsAnyoneUp e conseguiu. O site foi vendido a um grupo anti-bullying 16 meses depois de ser inaugurado.

Um dos dados mais surpreendentes sobre o site de Hunter Moore é que muitas das pessoas que tiveram sua intimidade devassada pela plataforma nunca haviam enviado fotos íntimas para ninguém!

Através da cruzada de Charlotte Laws contra o site, Hunter Moore foi preso pelo FBI.

Veja o trailer:

Bitsmag