Art Basel Hong Kong 2015

Bitsmag

A video posted by Randian (@randianonline) on

Terceira edição da feira na Ásia tem edição gigante e instalações de grandes proporções

Vai até terça, 17 de março, a edição 2015 da feira Art Basel Hong Kong, cidade mais que aberta a todo tipo de cultura, de qualquer parte do mundo. Esta é a terceira edição da Art Basel na cidade chinesa e conta com grandes colecionadores, curadores, diretores de museus, críticos e galeristas de todo o mundo, inclusive do Brasil.

Participam 233 galerias internacionais de 37 diferentes países, sendo que em Hong Kong metade dessas galerias são da Ásia e Oceania. É um portal muito importante para artistas asiáticos. A curadoria preparou setores diferentes para a disposição das galerias.

O setor Galleries aglutina 179 galerias de vários países mostrando arte moderna e contemporânea com pinturas, esculturas, aquarelas, instalações, fotografia, vídeo e gravuras. Entre elas estão Gladstone Gallery (N. York, Bruxelas), Goodman Gallery (Johannesburg, Cape Town), Dominique Lévy Gallery (N.York, Londres), e Sprüth Magers Berlin London (Berlim, Londres, Los Angeles). Do Brasil participam em 2015 as galerias Mendes Wood e Nara Roesler.

Insights é a área de projetos curados por 34 galerias da Ásia e da Oceania. Mostras solo de valor histórico e coletivas de fortes temáticas são o ponto forte deste setor. Artistas das mostras são de países como Australia, Azerbaijão, Camboja, Índia, Japão, China, Arábia Saudita, Coréia do Sul, Palestina, Filipinas, Taiwan, Tailândia, Turquia e Emirados Árabes.

Destaques do Insights ficam por conta do artista Leang Seckon, do Camboja, Zhang Yanzi, de Hong Kong, Yhonnie Scarce da Australia, Anurendra Jegadeva da Malásia, o artista tailandês Yuree Kensaku e o fotógrafo japonês Noritoshi Hirakawa.

Vinte galerias exibem artistas novos em mostras solo ou em duplas no setor Discoveries. Grandes pinturas, esculturas e instalações estão expostas na feira com curadoria de Alexie Glass-Kantor do Artspace de Sydney.

O curador, artista multimídia e produtor Li Zhenhua fez a curadoria do setor Film da Art Basel Hong Kong com programação de vídeos e filmes enviados por galerias participantes.

A programação Conversations, de bate-papos e debates, teve a participação do curador Hans Ulrich Obrist que conversou com a artista chinesa Cao Fei que criou para a Art Basel Hong Kong uma instalação de luzes de grandes proporções, visível de várias partes da cidade. Com alusões aos video games dos anos 80, a obra discute a cultura popular e a cultura jovem da nova geração chinesa.

Confira abaixo uma reportagem do jornal Wall Street Journal e fotos da feira Art Basel Hong Kong 2015: