William Kentridge: Fortuna

Bitsmag

Kentridge StereoscopeDrawing

Pinacoteca exibe extensa retrospectiva do artista sul-africano

Até dia 17 de novembro os paulistas podem conferir uma das melhores exposições de 2012 no Rio de Janeiro. William Kentridge: Fortuna faz uma extensa retrospectiva do artista sul-africano na Pinacoteca do Estado de São Paulo com curadoria de Lilian Tone do Instituto Moreira Sales onde estreou no ano passado e ficou em cartaz com recorde de visitação até fevereiro deste ano. São 38 desenhos, 27 filmes e animações, 184 gravuras e 10 esculturas produzidas entre 1989 e 2012. A mostra é resultado de uma parceria entre o Instituto Moreira Sales e a Fundação Iberê Camargo sob curadoria de Liliam Tone.

O foco de William Kentridge: Fortuna é o processo de criação bem pouco ortodoxo do artista em seu estúdio, em Johannesburgo. Através de intervenções em diversas plataformas e tamanhos a exposição destaca a atividade do artista multitarefa em forma de desenhos, gravuras, ópera, esculturas, filmes, teatro e performance.

Os dez filmes da série Drawings for Projection, iniciada em 1989 e cujo filme mais recente, Other Faces, foi finalizado em 2012, estarão em exibição na Pinacoteca ao lado dos desenhos que o artista executou para produzir os filmes. Esta série, segundo o próprio artista, foi o fator que lhe conferiu visibilidade no mundo todo.

Ganhador do Kyoto Prize, uma premiação japonesa do nível do prêmio Nobel, William Kentridge foi eleito por sua atuação em artes visuais e filosofia. Seu trabalho vem ganhando admiração nas grandes bienais de arte desde os anos 90, participando três vezes da Documenta de Kassel (1997, 2003 e 2012) e três vezes da Bienal de Veneza (1993, 1999, 2005). Grandes museus também já mostraram em individuais o trabalho de Kentridge, como o Louvre de Paris (2010), o Museu Albertina de Viena (2010), o Metropolitan de N.York (2005) e o MoMA de N.York (1998, 2010). Seu trabalho, sempre pontuado pelo teatro e a ópera, também já foi exibido em performances na Metropolitan Opera de N.York (2010) e no teatro La Scala de Milão (2011).

Formado em ciências políticas e estudos africanos pela Universidade de Johannesburgo e pela Johannesburg Art Foundation, o artista nascido na capital da África do Sul em 1955 foi ainda eleito Membro Honorário da American Academy of Arts and Letters e recebeu os títulos Doutor Honoris Causa da Universidade de Londres e Commandeur dans l’Ordre des Arts et des Lettres do Ministério da Cultura e Comunicação da França.

As animações de William Kentridge são realizadas em técnica caseira inventada por ele próprio que a denominou de “cinema da idade da pedra”. Os filmes são produzidos quadro a quadro sobre alterações de desenhos em carvão ou pastel. Utilizando elementos do dia a dia encontrados em seu próprio estúdio o artista reflete sobre temas como a memória social da África do Sul e o apartheid.

Uma de suas animações é o flipbook De Como Não Fui Ministro d’Estado, criada especialmente para a exposição Fortuna. Uma edição fac-similar da obra está à venda acompanhada por um DVD. A obra foi criada como uma intervenção sobre o livro Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis. William Kentridge: Fortuna rendeu também um belíssimo catálogo contendo um portfolio com todos os trabalhos da mostra e textos inéditos da curadora Lilian Tote e de Kate McCrickard, crítica de arte britânica.

Pinacoteca do Estado de São Paulo 
Praça da Luz, 02 – Luz – Tel. 11 3324-1000
De terça a domingo das 10h às 17h30min. Quintas até as 22h.
Ingresso combinado (Pinacoteca e Estação Pinacoteca): R$ 6 e R$ 3
Grátis aos sábados o dia todo e quintas das 18h às 22h.

Bitsmag