Adam Wallacavage e Rafael Silveira


adam-vert03.jpg
Choque Cultural inicia o calendário de mostras com duas exposições de pop surrealismo


adam-vert03.jpg

Choque Cultural inicia o calendário de mostras com duas exposições de pop surrealismo


O pop surrealismo reina na Choque Cultural este mês com duas exposições de artistas adeptos do estilo. Curiosa Symphonia Para Orquestras de Cores e Formas, do curitibano Rafael Silveira e Coração Frio da Princesa, do americano Adam Wallacavage, ficam em cartaz até 12 de março.

Para sua segunda exposição no Brasil, Adam Wallacavage traz 10 esculturas que parecem lustres, feitas com um gesso sintético chamado drystone. Recoberto com pó iridescente e resinado, o drystone fica com aspecto de vidro ou acrílico. Em formas que lembram polvos os “lustres” de Adam Wallacavage são românticos e lembram trabalhos de antigos artesãos. 

Escultor e fotógrafo, o artista de 41 anos, que veio ao Brasil para a abertura da mostra na Choque Cultural, já expôs em museus americanos como como Institute of Contemporary Art in Philadelphia, The Yerba Buena Center for the Arts in San Francisco, The Laguna Beach Museum of Art, na Califórnia, Portsmouth Museum of Art em New Hampshire, além do Bristol City Museum of Art, no Reino Unido. Participante da feira Art Basel há quatro anos, Adam é representado pela galeria Jonathan Levine, que tem parceria com a Choque Cultural.

“Me inspiro vendo as igrejas antigas da Filadélfia, desmanteladas e o trabalho de velhos artesãos destruído. Justamente por ser fotógrafo, busquei uma casa selvagem na Filadélfia repleto de detalhes clássicos para criar um cenário divertido, fantástico e vitoriano, perfeito para fotos. Esse é o principal motivo que me levou a criar lustres e candelabros. Busco incrementar minhas habilidades com a ideia de que a decoração é uma ótima maneira de expressar devoção, alegria, medo e beleza. Vou juntando, em meu ateliê, peças e partes de antiguidades e coisas curiosas que encontro para observá-las atuando em conjunto na obra”, conta Adam Wallacavage sobre suas inspirações e processo criativo. 


Já um veterano na agenda da Choque Cultural, Rafael Silveira leva a São Paulo agora a mostra Curiosa Symphonia Para Orquestras de Cores e Formas. Em doze pinturas a óleo, marca registrada de seu trabalho, Rafael evoca sua ligação com a música. Trompetista e também vocalista bissexto, o artista tem uma banda chamada Los Diaños.
 
“Tento equilibrar elementos como beleza, uma dose de humor; crio um ambiente atemporal. A vida é assim; drama, comédia, calma e fúria. Procuro somar, pegar o que encontro de melhor em cada período, em cada movimento artístico, e dessa mistura criar minha própria linguagem. E eu nunca me contentei em demarcar um território, a não ser que ele fosse exuberante, exótico e profundo como um distúrbio mental”, conta Silveira que cita gibis da Fantagraphics, velhos livros de anatomia, Basil Wolvertoon e Robert Crumb como referência. 
  


Curiosa Symphonia Para Orquestras de Cores e Formas, de Rafael Silveira

Coração Frio da Princesa, de Adam Wallacavage

Choque Cultural

Rua João Moura, 997 e 1001, Pinheiros, São Paulo

Telefone: (11) 3061-4051; email: galeria@choquecultural.com.br>    

De terça a sábado, das 12h às 19h
Grátis
Até 12 de março


Veja imagens da mostra de Adam Wallacavage na Choque Cultural (clique na foto para abrir a galeria):

{gallery}artes/choque-fev11{/gallery}

Veja imagens da mostra de Rafael Silveira (clique na foto):

{gallery}artes/choque-fev11-rafasilveira{/gallery}

Deixe um comentário:

comments

Powered by Facebook Comments