Saiba mais sobre Kevin Saunderson

Bitsmag

(Matéria realizada em 18/08/2005) 

kevinsaunderson.jpg

Colega de escola de Derrick May e Juan Atkins na Bellevill High School de Detroit o novaiorquino criado na Motor City, Kevin Saunderson é mesmo um dos pilares da música techno no mundo e talvez o primeiro que conseguiu torná-la algo popular com seu grupo Inner City, no final dos anos 80. Formado em telecomunicações pela Eastern Michigan University, onde também jogou futebol americano, Saunderson fez sua primeira faixa techno, Triangle Of Love, quando ainda estudava na universidade, em equipamento caseiro, acessorado por Juan Atkins, que era fortemente influenciado por artistas europeus como o Kraftwerk, Depeche Mode e Human League.

O Inner City, que se chamou no início Inter City, é apenas um dos projetos de produção de Kevin Saunderson, que também já gravou com os codinomes Kreem, Tronik House, Es’Ray, Reese & Santonio, The Reese Project e o mais recente E-Dancer. O Inner City surgiu de uma necessidade, ou seja, por acaso… Saunderson gravava uma faixa em seu estúdio e precisava de uma vocalista que pudesse também compor letras. Foi então que surgiu Paris Grey, indicada pelo produtor de house de Chicago, Terry “Housemaster” Baldwin. Dessa forma nasceu o hit espetacular Big Fun.

Mas Big Fun não foi lançada logo que foi produzida, na verdade ela ficou um tempo esquecida no arquivo de Kevin, como ele próprio conta no website Trust The DJ. Foi o produtor inglês Neil Rushton, da Virgin da Inglaterra, que resolveu fazer uma compilação do som de Detroit chamada Techno! – The New Dance Sound of Detroit e pirou quando ouviu a faixa. Logo depois Big Fun foi lançada como um single e se tornou um hit da dance mundial. Good Life foi o trabalho que sucedeu Big Fun. O álbum conseqüente foi Paradise e daí pra diante foram cerca de 12 hits na parada Top 40 da Inglaterra e dois álbums na parada Top 20, também no Reino Unido. Em 1999 Saunderson remixou Good Life com o projeto E-Dancer e a faixa se tornou novamente um hit das pistas pelo mundo afora. Kevin Saunderson contou ao Bitsmag que atualmente Paris Grey não tem feito muita coisa e tem se dedicado a ser mamãe, portanto não há esperança de trazer de volta o Inner City. Um novo trabalho do grupo, Say Something, foi criado 3 ou 4 anos atrás e está sendo lançado agora com vários remixes. Mas o grupo em si não deve se reunir tão cedo. Kevin não é tão categórico também quanto a isso e conclui: “quem sabe ainda fazemos uma turnê mundial?”. Hoje em dia Saunderson continua tocando e, além disso, trabalha no esporte, como treinador de um time de baseball de Detroit, o Detroit Dodgers.

Sobre as novas tendências do techno Saunderson acha que as novas tecnologias tornaram muito mais simples a produção, mas o gênero continua criativo. O techno continua se expandido segundo ele, e o mundo tem se tornado menor. Saunderson não reconhece novas tendências no techno, mas sim novas tecnologias. O DJ continua tocando em clubes principalmente na Europa: “sempre na Europa e NUNCA na América”. Ele acha que os promoters americanos estão viciados em revistas de música eletrônica inglesas que só falam do mercado inglês e isso acaba criando uma segregação. Para ele a Inglaterra faz um tipo específico e próprio de música e seu mercado é muito poderoso.

Perguntei a Kevin se já tinha ouvido falar em funk carioca, mas ele não conhece ainda e pediu que mostrem a ele quando estiver por aqui. Em seu selo KMS, Saunderson lança apenas faixas de catálogo e não há planos de lançar novos artistas. Para a apresentação de S.Paulo Kevin Saunderson promete levantar a pista do D-Edge com muito “funky groovie techno, uptempo, uplifting”. O DJ se mostra animado com mais uma viagem ao Brasil onde já esteve várias vezes e promete um set bem animado.

Bitsmag