Estranhos no Paraíso de Jim Jarmusch é filme cult dos anos 80


Estranhos no Paraíso de Jim Jarmusch é filme cult

Filme retorna às telas 32 anos depois de sua estréia


O termo “filme cult” entrou em voga nos anos 80. Numa década onde a indústria do cinema prosperou como nunca antes, a ala mais marginal da arte cinematográfica criou pérolas que ficaram para a posteridade. Agora no Brasil entra em cartaz em versão remasterizada um dos maiores “filmes cult” dos anos 80.

Estranhos no Paraíso (Strangers Than Paradise) colocou Jim Jarmusch no mapa da cinematografia mundial. É um marco inegável do cinema independente dos anos 80. A Zeta Filmes coloca em cartaz no Brasil a partir de 3 de novembro uma nova cópia do filme, digital e restaurada. A exibição faz parte da 40a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Jim Jarmusch este ano apresentou dois novos filmes no Festival de Cannes e um deles, Paterson, foi indicado à Palma de Ouro. O diretor realiza um cinema bastante autoral e geralmente trabalha em preto e branco. Estranhos No Paraíso é um de seus filmes mais representativos. É uma comédia existencialista com um roteiro bastante original e diferente em formato “on the road”.

Willie (John Lurie) é um imigrante húngaro morando em N.York. A prima Eva (Eszter Balint), de Budapeste, vai visitá-lo antes de se mudar com a tia em Cleveland. A visita não rende muita euforia por parte de Willie mas um ano depois ele resolve visitar a prima com o amigo Eddie (Richard Edson) e quando chega lá resolve levá-la para conhecer Miami.

Lançado em 1984 Estranhos no Paraíso ganhou a Camera D’Or em Cannes, prêmio dedicado a novos diretores. Ganhou também um prêmio especial do juri em Sundance, em 1985, e o Leopardo de Ouro em Locarno no mesmo ano.

O Ciclo Clássica da Zeta Filmes tem trazido de volta restaurados alguns dos maiores clássicos do cinema. Na temporada 2015/2016 o evento exibiu cópias restauradas de longas do sueco Ingmar Bergman: O Sétimo Selo (1957) e Morangos Silvestres”(1957); do italiano Federico Fellini, duas de suas obras-primas: A Doce Vida (1960) e  (1963); de Pier Paolo Pasolini, Mamma Roma (1962); e por fim do diretor alemão Werner Herzog, Nosferatu – O Vampiro da Noite (1979) e Fitzcarraldo (1982).

Na próxima temporada o Clássica tem na agenda: Blow Up (1966), de Michelangelo Antonioni, O Homem que Caiu na Terra (1976), de Nicolas Roeg e Hiroshima Meu Amor (1959), de Alain Resnais.

Estranhos no Paraíso (DCP, Dir: Jim Jarmusch, EUA, 1984, 90 min., 14 anos)
Direção e Roteiro: Jim Jarmusch
Fotografia: Jim Jarmusch, Melody London
Montagem: Tom DiCillo
Música: John Lurie
Produção: Sara Driver
Elenco: John Lurie, Eszter Balint, Richard Edson

Deixe um comentário:

comments

Powered by Facebook Comments