Belo Caos

Bitsmag

P04_a_ultima_pincelada_1983_CR.jpg

Estréia no Rio esta semana retrospectiva de Jorge Guinle no MAM 

P04_a_ultima_pincelada_1983_CR.jpg

Estréia no Rio esta semana retrospectiva de Jorge Guinle no MAM

Estréia esta sexta no Rio de Janeiro a maior retrospectiva já realizada do pintor Jorge Guinle. São 45 pinturas e 26 desenhos selecionados pelos curadores Ronaldo Brito e Vanda Klabin a partir de coleções públicas e privadas do Rio, São Paulo e Paraná.

A mostra esteve em São Paulo no início deste ano e também em Porto Alegre, mas a edição carioca é ampliada e tem 19 obras a mais do que as anteriores. Entre os destaques está o quadro A Última Pincelada, da coleção de João Satamini, que está sendo restaurada especialmente para a retrospectiva do MAM-RJ.

Jorge Guinle é um dos nomes mais conhecidos da pintura carioca dos anos 80. Participou da antológica exposição do Parque Lage, Quem É Você Geração 80 e as obras mostradas nesta retrospectiva são deste período, em sua maioria.

Um livro sobre a obra de Jorge Guinle vai ser lançado por ocasião da exposição no MAM do Rio. Jorge Guinle – Obra Completa mostra características das influências do pintor como o cinema, a poesia, a literatura e o jazz, além da própria pintura. O livro traz texto do crítico Roberto Conduru, e uma antologia organizada por Vanda Klabin de artigos já publicados sobre o artista, escritos por Ronaldo Brito, Paulo Sergio Duarte, Wilson Coutinho, Frederico Morais e Rodrigo Naves

No MAM carioca estarão expostas obras homônimas de filmes como A Última Vez Que Vi Paris, de Richard Brooks (1955), O Porteiro da Noite (1974), de Liliane Cavani, Quem tem medo de Virginia Woolf (1966), de Mike Nichols, O Ano do Dragão (1985), de Michael Cimino, 1984 (1984), de Michael Redford, Verdugo (1963), de Luiz Garcia Berlanga, Juventude (Summer Interlude, 1951), de Ingmar Bergman, Macunaíma (1969), de Joaquim Pedro de Andrade e Subida Ao Céu (1952), de Luis Buñuel além de Copacabana Não Me Engana, uma homenagem ao filme Copacabana Me Engana, de Antônio Carlos da Fontoura e que ganhou o prêmio do Salão Nacional  de Artes Plásticas da Funarte, em 1985. Estarão ainda expostos na retrospectiva dez trabalhos de Jorge Guinle que foram selecionados para a XVII Bienal Internacional de São Paulo, em 1983.

Jorge Guinle morreu aos 40 anos, em N.York, vítima da AIDS. Após sua morte seus quadros e outros bens foram disputados por sua mãe e seu companheiro de longa data, o fotógrafo Marcos Rodrigues. A justiça brasileira não reconheceu a união de Marcos e Jorge e acabou concedendo toda a herança do pintor à família de sua mãe.

Jorge Guinle – Belo Caos

Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
Av. Infante Dom Henrique ,85
Parque do Flamengo – Rio de Janeiro – Telefone: 21.2240.4944
De 18 de setembro a 08 de novembro de 2009
De terça a sexta, das 12h às 18hSábado, domingo e feriado, das 12h às 19hIngresso: R$8,00 (A bilheteria fecha 30 min antes do término do horário de visitação)
Estudantes maiores de 12 anos R$4,00
Maiores de 60 anos R$4,00
Amigos do MAM e crianças até 12 anos entrada gratuita
Domingos ingresso família, para até 5 pessoas: R$8,00

Bitsmag