Hotel Libertador – Arequipa / Perú

Bitsmag

Hotel Libertador Arequipa
Animais de estimação, comida fantástica e o genuínio estilo colonial peruano no hotel mais tradicional da Cidade Branca

A primeira parada de nossa viagem ao Perú foi Arequipa, a cidade branca. O nome vem das construções de “sillar”, uma pedra vulcânica encontrada na área, que tem vários vulcões ao redor, como o Misti e o Ampato. O “sillar” tem uma cor branca e as construções arequipenhas na maioria empregam este material, por isso a cidade é também conhecida como “a cidade branca”.

Arequipa em si não é uma cidade grande mas é bastante charmosa com ser bons sítios históricos. A Catedral, a Praça de Armas e o Monastério de Santa Catalina são imperdíveis. Os restaurantes são abundantes e muito bons, inclusive o mais popular chef peruano, Gastón Acurio, tem uma de suas casa lá, o restaurante Chicha.

Quanto a estadia, a melhor pedida é realmente o hotel Libertador Arequipa. Localizado perto do centro histórico o Libertador tem estilo colonial peruano, com 88 apartamentos, todos com wi-fi grátis, TV a cabo e frigobar além de belíssimos banheiros de mármore travertino abastecidos com super necessárias amenidades como o kit Neutrogena de shampoo, condicionador, hidratante e sabonete, roupões e pantufas.

A comida do Libertador é um deleite. O café da manhã então, nem se fala. O bufê conta com um chef de plantão para preparar os ovos da maneira que o hóspede quiser: mexidos, fritos ou à holandesa. De longe foi o café da manhã mais bem sevido de todos os hotéis em que nos hospedamos nesta viagem ao Perú. Até pratos de cozinha mexicana, como o guacamole, estão disponíveis no café da manhã.

O dia todo é possível pedir um chá de coca, para combater os males de altitude, como dor de cabeça e enjôos. Um outro chá que é muito útil no Perú é o chá de muña, que tem propriedades parecidas às do nosso chá de boldo e faz muito bem ao aparelho digestivo.

Na área da piscina há uma jacuzzi adjacente e um grande jardim onde ficam as alpacas de estimação do hotel, além de Juanita, uma tartaruga de mais de 150 anos, originária de Galápagos.

Uma academia super equipada está à disposição dos hóspedes, além de um spa onde se pode agendar massagens, que também podem ser feitas nos apartamentos.

O Libertador Arequipa foi construído na década de 40. Mais tarde foi administrado pelo estado, assim como a maioria dos hotéis no Perú durante um bom tempo nas décadas de 60 e 70. Nos anos 90 houve privatização e o hotel foi incorporado pela cadeia Libertador que tem propriedades em Puno, Trujillo, Lima e Cusco, além das unidades Luxury Collection, os mais novos e mais luxuosos, que são o Hotel Paracas, o Tambo del Inka no Vale Sagrado, em Cusco e o Westin Libertador Lima.

Bitsmag