My Name Is Earl est? de volta ? TV brasileira

Bitsmag

my-name-is-earl_capa.jpg

Terceira temporada de My Name Is Earl já está em exibição no FX

earl.jpg

Uma das mais originais séries americanas de todos os tempos é My Name Is Earl. Infelizmente desprezado em Hollywood, Jason Lee, revelado por Kevin Smith em Procura-se Amy, conseguiu a visibilidade merecida no papel de Earl, o estereótipo do “looser white trash”, o americano de classe média desocupado e sem ambição que, acostumado a uma jornada de pequenos roubos e furtos e nada de trabalho, resolve dar sentido à vida pagando todos os seus carmas. Depois de perder um bilhete de loteria premiado Earl promete a Deus que vai se redimir com todas as pessoas às quais ele fez mal e ele acaba achando o bilhete. Com o prêmio na mão e sem precisar roubar para viver ele cumpre a promessa e cria uma lista de pessoas com as quais ele tem de resolver os carmas oriundos de seus truques e sacanagens.

A série tem trilha sonora de primeiríssima, com clássicos do rock dos anos 70, de The Who a Ramones. No elenco, além de Jason Lee, está Ethan Suplee que faz Randy, o irmão dependente e desatinado de Earl, que junta burrice e douçura e é responsável por grandes momentos da série. Jaime Pressly, que faz a ex-mulher de Earl, foi o grande achado. A atriz, depois de 10 anos fazendo papéis inexpressivos no cinema e na TV americana, ganhou um Emmy e foi indicada ao Globo de Ouro, além de outros prêmios, por sua atuação em My Name Is Earl. A aproveitadora e completamente incorreta Joy é sempre certeza de boas gargalhadas, bem como seu apaixonado marido, Darnell Turner, interpretado por Eddie Steeples.

My Name Is Earl mostra os Estados Unidos de outra maneira, e os americanos menos favorecidos. Tem muito de Fellini e de irmãos Coen em My Name Is Earl. Os Coen de O Grande Lebowski, mais precisamente, outro americano sem ambição mas feliz, sem preocupação com o “sonho americano”. My Name Is Earl fala do americano médio e dos excluidos, sempre pontuando a questão da imigração. Outro ponto alto do seriado é a personagem Catlina, uma imigrante ilegal mexicana, interpretada por Nadine Velazquez.

Nesta terceira temporada Earl deixa de lado sua lista de carmas pois tem de aprender a sobreviver dentro da prisão. Ele assumiu a culpa de Joy, que estava presa por ter seqüestrado e matado um funcionário de uma loja de móveis e passou de testemunha de defesa a presidiário no final da segunda temporada.

Como sempre, além do afiado elenco que já foi indicado a um prêmio da SAG, o sindicato de atores americanos, My Name Is Earl tem aparições esporádicas de ótimos atores como Burt Reynolds, Giovanni Ribisi, Ben Foster, John Leguizamo, Marlee Matlin e Adam Goldberg. Alyssa Milano, de Charmed, também faz participação especial na série nessa temporada, assim como Paris Hilton.

A terceira temporada de My Name Is Earl está em exibição no canal FX, todo domingo às 20h e às 23h com reprise na segunda às 16h.

Bitsmag