Liberdade para as baleias e para os ativistas

Bitsmag

junichi_sato.jpg

Greenpeace reúne petição pedindo ao Japão liberdade para ativistas a favor das baleias

junichi_sato.jpg

Greenpeace reúne petição pedindo ao Japão liberdade para ativistas a favor das baleias 

Uma petição com 2500 internautas pedindo a liberação imediata de dois ativistas do grupo Greenpeace presos no Japão, foi entregue no final de junho ao Consulado Japonês em São Paulo. A petição será agora encaminhada à Embaixada do Japão em Brasília, já que as autoridades japonesas em São Paulo não receberam o documento que ficou na portaria do Consulado.

Os ativistas Junichi Sato, 31, e Toru Suzuki, 41 fazem parte da equipe do Greenpeace que vem investigando denúncias sobre ilegalidades no programa científico chamado JARPA (Programa Baleeiro Japonês no Oceano Antártico). Esses ativistas foram presos em Tóquio, acusados de roubar uma caixa com cerca de 23 quilos de carne de baleia, avaliada em 3 mil dólares. Essa caixa seria entregue às autoridades como prova da existência de ilegalidades no programa, como o navio-fábrica Nisshin Maru que participa da caça a baleias na Antártica. O programa tem servido como disfarce para a caça comercial de baleias.

O Programa Baleeiro Japonês está registrado na Agência de Pesca como atividade de natureza científica, embora a comunidade internacional já tenha identificado o programa como um disfarce para a caça comercial. A CIB (Comissão Internacional Baleeira ) já condenou o programa repetidas vezes e pediu a interrupção de suas atividades. O Japão, no entanto, tem ignorado sistematicamente os apelos da comunidade internacional.

Bitsmag