Coluna Bafo: Nenê

Bitsmag

Coluna Bafo: Nenê

(Entrevista publicada em 9/03/2005)

 

Ele é uma das figuras chave da noite paulistana. Nenê é o responsável por clubes lendários na cena nacional, entre eles Sra Krawitz, Samantha Santa, a Lôca e Susi In Transe, entre outros. Quem já esteve num desses lugares sabe como suas noites são sempre animadas e pontuadas pelo humor, acima de tudo. Grande parte dos momentos mais marcantes da cena aconteceram dentro de seus clubes e festas. Antenadíssimo e sempre bem humorado, Nenê ja é patrimônio clubber de S.Paulo. Atualmente ele promove uma festa mensal aos sábados, na Sala Especial.

Por: Luiz Fernando

Bafo SP: Como você começou a trabalhar na noite ?

Nenê: Comecei trabalhando no fanzine do Madame Satã, no início da década de 80. Depois trabalhei no clube Imelda Marcus como DJ. O Imelda era uma casa dos mesmos donos do Satã. Foi uma verdadeira escola pra mim e de lá sairam os tops Marquinhos MS e Renato Lopes, entre outros. Depois trabalhei no Espaço Retrô, tudo na década de 80.

Bafo SP: Você é responsável pelo sucesso de várias casas paulistanas como a Lôca, Sra Krawitz, Susi In Transe e Samantha Santa. Qual é a fórmula?

Nenê: Acho que não tem uma receita certa, mas é fundamental quando se pensa em lazer, que não falte boas doses de bom humor, tudo lincado com o que está acontecendo no momento no mundo, no seu país, na sua cidade

Bafo SP: Quais as festas mais marcantes em sua trajetória ?

Nenê: São varias: a lendária festa da piscina no Krawitz, Uma noite no Cassino da Marcelona, no Columbia em homenagem ao cassino do Chacrinha, com direito a show de calouros, show da Rita Cadilac e muito mais. No Stereo teve a noite Detergentes Emergentes que foi bem engraçado também e no Samantha Santa teve Roupa Suja se Lava na Pista, enfim, são tantas emoções…

Bafo SP: Como você vê a cena eletrônica atualmente ?

Nenê: Acho legal mas falta um pouco de inovação, de humor, tá tudo muito blasé. Acho que a cena tem que ser reinventada

Bafo SP: Quais os seus DJs favoritos ?

Nenê: Gosto de muitos até porque danço conforme a música, cada um na sua linha tem o seu valor. Vou citar alguns: o top DJ underground Julião, o William Atum é fofíssimo, super antenado, gosto da irreverência da dj Nega Nervous, da house do Mister Gil e Jac Junior. O Paretto é tudo,o George Actv acho bem bacana. Não curto muito lenha, acho que já passou, até o termo "lenha" é obsoleto, virou carvão.

Bafo SP: Quais os seus projetos na noite atualmente?

Nenê: Penso em fazer festas,pras pessoas endoidarem, se divertirem. Já fiz a Nazareth em Surto, lá na Sala Especial que foi bem legal, quem foi sabe, quem não foi que aguarde as próximas.

Bafo SP: O que você ouve em casa?

Nenê: Ouço um pouco de tudo desde CDs gravados por top e novos DJs que sempre ganho. Ouço também rock, funk, Maria Bethania, Ângela Ro Ro, Maysa, pop, trash, só não ouço sertanejos em geral, axé e outros lixos que tocam por aí afora.

Bafo SP: O que você acha da cena eletrônica no Rio de Janeiro?

Nenê: Acho que o Rio é meio devagar na cena, poderia ser melhor. Mas tem um povo do bem fazendo acontecer.Tem bons DJs como Maurício Lopes, José Roberto Mahr, mas ainda falta o povo se jogar mais.

Bafo SP: Quando esta no RJ o que gosta de fazer?

Nenê: Quando vou pro Rio me jogo no Fosfobox,que achei bem legal e no Dama de Ferro ,que ja caminha pro classico nas noites cariocas,ha um tempo atrás ia no BURACO DA LACRAIA,na Lapa não sei se ainda rola, mas claro que sempre muito esperto pra não apanhar dos Pit Bóys,que são simplismente uó.

Bafo SP: Você tem se aventurado nas picapes e CDJs da vida. Como tem sido pra você a sua porção DJ?

Nenê: Nunca me entitulei DJ, só sei virar na cama, mas gosto de música, sempre trabalhei com isso e não tem como não me envolver. Gosto de tocar e ver a pista ferver, tenho tocado em festas, em alguns clubs, em festas na praia e é bem legal ver a coisa pegar fogo. Me divirto fazendo as pessoas dançarem e se divertirem.

Bafo SP: Como entrar em contato com você?

Nenê: nenekrawitz@yahoo.com.br

Bitsmag