Mayfair no centro de Los Angeles

Bitsmag
Mayfair no centro de Los Angeles
foto: divulgação

Uma das primeiras festas do Oscar aconteceu neste hotel, em 1929

Como quase tudo no centro de Los Angeles, um dos marcos históricos da cidade, o hotel Mayfair, está passando por uma super reforma. O espaço fica perto do Broad Museum, do Walt Disney Concert Hall e do Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles, bem como o Ace e o Standard, hotéis badalados da cidade.

Quem está capitaneando esta reformulação é a arquiteta Gulla Jónsdóttir, que tem no currículo outros belíssimos hotéis como o Roosevelt e o Thompson Hotel Beverly Hills além da galeria Gagosian.

A ideia é manter o estilo dos anos 20 do século passado, com pisos de mármore, janelas com mosaicos e detalhes em bronze. Tanto o prédio em si como a região são recheados de história e tradição da capital mundial do cinema.

O Mayfair, além de ter sido palco da primeira festa pós-Oscar, hoje conhecida como Governor’s Ball, foi residência da amante de Raymond Chandler. O escritor de ficção policial que originou diversos roteiros de filmes noir se inspirou no hotel para escrever o conto I’ll Be Waiting.

O primeiro bar de strip tease de Los Angeles, o Monty Bar, fica ao lado do Mayfair. Inaugurado em 1910, está em pleno funcionamento até hoje, recebendo uma clientela de profissionais do mundo da música e do cinema.

Outro espaço histórico e tradicional nas redondezas do hotel é o Teragram Ballroom, teatro onde se pode assistir grandes nomes da música atual. Em 1926 o Mayfair era o edifício mais alto dos Estados Unidos na região a oeste do rio Mississipi.

O Mayfair hoje está recheado de obras de arte escolhidas por um conhecido artista de rua da cidade, Kelly Graval, ou Risk. Bom frisar que todas as obras de arte são de artistas de rua. O hotel tem uma galeria de arte com mostras temporárias, além das obras espalhadas pelos andares, com arte de pioneiros da cidade, como Shepard Fairey.  As obras escolhidas por Risk, quadros, e instalações, simbolizam a marca de cada artista na cidade.

Entre os novos espaços que estão sendo remodelados, ou mesmo introduzidos no Mayfair, está um bar à moda “speakeasy”. O termo speakeasy vem da época da Lei Seca nos Estados Unidos (1920-1933). Nessa época era ilegal consumir ou vender bebidas alcoólicas. O bar speakeasy tinha uma porta escondida, funcionava clandestinamente. Era um bar pequeno e só se podia entrar com convite e senha. As bebidas eram misturadas com sucos, açúcar e outros sabores para mascarar o álcool.

Nos bares speakeasy de hoje a entrada é escondida, difícil de achar e o cardápio tem uma seleção bem variada de drinks. Um speakeasy não vende drinks direto da garrafa, como outros bares.

No quesito comida, além da área estar povoada por alguns dos melhores restaurantes de Los Angeles, como o mexicano modernosos Broken Spanish, o japonês Q ou o italiano Bestia. Mas dentro do Mayfair o chef é Scott Commings, ganhador da temporada 12 do programa Hell’s Kitchen. Vamos aceitar: ser escolhido no programa do carrasco Gordon Ramsay não é para qualquer um… O restaurante do Mayfair leva o nome da personagem principal do conto de Raymon Chandler inspirado no hotel: Eve. O espaço é um bistrô com cozinha moderna da California.

O salão que sediou a primeira festa pós Oscar em 1929 está sendo totalmente reformulado também, além das novas suites de cobertura.

O bar do Lobby inclui um estúdio para gravação de podcasts.

O Mayfair está funcionando em regime de soft opening, apesar de ainda estar em obras. 

Bitsmag