Kanye West no Tim Festival

Bitsmag

kanye-west.jpg

Glow In The Dark é apontado como um dos shows mais impactantes dos últimos anos

kanye-west.jpg

Glow In The Dark é apontado como um dos shows mais impactantes dos últimos anos

por: Divulgação

Uma nave espacial controlada por computadores de última geração, gêiseres de fogo que aquecem literalmente a platéia, explosões lunares, dez telões de altíssima definição, som surround e até mesmo um dinossauro são algumas das atrações de Glow In The Dark, o elogiado show que o rapper norte-americano Kanye West traz na íntegra ao Brasil na próxima edição do TIM Festival. Batizado de ópera-rap espacial, o espetáculo vem conquistando platéias mundo afora com uma ousada mistura de música e tecnologia.

A sua principal inspiração veio de clássicos do cinema de ficção científica, como 2001 – Uma Odisséia No Espaço, filme de Stanley Kubrick, febre na década de 70. Em cena, Kanye West embarca em uma viagem pelas galáxias, após ser escolhido para a missão de trazer a criatividade de volta ao planeta Terra. Ele utiliza as canções de seu último CD, Graduate, para essa jornada high tech, que surpreende o público com uma iluminação feérica nas cores laranja, vermelho, púrpura e rosa.

O gigantesco cenário tem plataformas que suspendem a banda e deixam o astro do hip hop sozinho no palco para narrar a sua odisséia espacial, construída através de músicas do próprio repertório, como Can’t Tell Me Nothing, Good Life e a comovente Hey, Mama, que ele compôs em homenagem à mãe, falecida no ano passado. A produção possui ainda um complexo esquema anti-incêndio devido às imensas labaredas que integram os seus efeitos especiais.
Para colocar de pé o espetáculo, o artista recorre a um aparato tecnológico com mais de 50 toneladas. Para transportá-lo, são utilizados 13 caminhões e sete ônibus. A montagem leva um dia inteiro e a numerosa equipe de produção ocupa cinco salas.

Assistida por mais de 500 mil espectadores, a turnê desperta reações calorosas por onde passa. O também rapper P. Diddy (anteriormente conhecido como Puff Daddy) é fã do show e declarou que a apresentação mudou sua vida e o fez se apaixonar novamente por hip hop. Outra fã declarada de Kanye é Madonna, que o convidou para uma participação em seu último álbum, Hard Candy, dividindo com ele a autoria e os vocais na faixa Beat Goes On. Para Glow In The Dark, Kanye ainda convocou Jamie King, que assinou a coreografia das quatro últimas turnês de Madonna e já trabalhou com Prince, Britney Spears, Shakira e Elton John, entre outros.

Aos 31 anos, Kanye West é um dos nomes mais bem-sucedidos da indústria fonográfica americana, acumulando cerca de 30 prêmios, entre eles dez Grammy. Suas músicas fogem do universo normalmente retratado por artistas de rap e hip hop e aborda temas como religiosidade, tolerância e política. No palco, ele aproveita para fazer, inclusive, um discurso contra o governo Bush e a discriminação sexual dos gays.

Depois de produzir trabalhos de astros como Janet Jackson, Jay-Z, Alicia Keys, Eminem, Ludacris e John Legend, entre muitos outros, Kanye se lançou como artista solo depois de quase perder a vida em um acidente de carro. Seu álbum de estréia (The College Dropout) ganhou um disco de Platina Tripla ao ser lançado em 2004. Em seqüência vieram Later Registration (2005), com tiragem de quase um milhão de cópias, e Graduate, com 957 mil exemplares vendidos apenas na semana de lançamento.

As apresentações de Glow In The Dark no TIM Festival acontecem nos próximos dias 22 e 24 de outubro, em São Paulo (Parque do Ibirapuera) e Rio de Janeiro (Marina da Glória), respectivamente.
 
Glow In The Dark – Kanye West

São Paulo:
Arena de eventos – Parque do Ibirapuera
22 de outubro – quarta-feira
Horário: 21h
Preço: R$ 250

Rio de Janeiro:
Marina da Glória
24 de outubro – sexta-feira
Horário: 21h30
Preço: R$ 250 

Bitsmag