Neuromancer de William Gibson

Bitsmag

neuromancer.jpg.jpg

Neuromancer: Romance fundamental do cyberpunk chega aos cinemas em 2009

neuromancer.jpg.jpg

Finalmente, após 20 anos influenciando romances, contos e filmes de ficção científica, além de programas de TV, videogames e quadrinhos, Neuromancer, de William Gibson, vai chegar às telas de cinema.

O filme, uma produção independente com um orçamento milionário, de 70 milhões de dólares, deve estrear em 2009. A produção é do britânico Peter Hoffman e a direção é de Joseph Kahn que é respeitadíssimo diretor de videoclipes de gente graúda como U2, Eminem e Destiny’s Child. Escalado para interpretar o herói da história, o cyberpunk Case, está Hayden Christensen, que ficou conhecido com o Darth Vader da franquia Guerra nas Estrelas.

Muitos já tentaram levar às telas Neuromancer, que William Gibson chegou a jurar que nunca venderia os direitos para uma produção cinematográfica, principalmente depois do fracasso de Johnny Mnemonic, um conto de Gibson que teve direção do artista plástico e diretor de videoclipes Robert Longo. Mnemonic, estrelado por Keanu Reeves, foi bastante atacado pelos fãs ensandecidos de Gibson que se equiparam à turma de Guerra nas Estrelas ou os de Jornada nas Estrelas. Chuck Russell, que dirigiu O Máscara e Chris Cunningham, que fez fantásticos videoclipes do Aphex Twin e muitos de estrelas do pop como Björk e Madonna, foram alguns que tentaram filmar o romance que é a pedra fundamental do movimento cyberpunk.

Em Neuromancer William Gibson inventou termos que se tornaram palavra-chave do mundo atual como cyberspace e matrix, isso cerca de 15 anos antes da era da popularização da Internet, no final dos anos 90. O romance é a história de Case que é contratado para um fazer um serviço secreto e de espionagem e se vê envolvido em uma intriga complicadíssima de inteligência artificial.

As críticas dos fissurados em Neuromancer já começaram na internet. O fãs fervorosos são na verdade contra o romance ser transformado em filme, seja qual for o diretor. Outros acham que somente a animação seria uma saída para Neuromancer no cinema, de preferência no estilo mangá e dirigido por algum diretor japonês. Quem leva os piores petardos é mesmo o ator Hayden Christensen, que já foi duramente criticado pelos fãs de Guerra Nas Estrelas.

Neuromancer vem numa leva de novos filmes de ficção científica o que mostra que o gênero, que foi onipresente durante os anos 90, agora volta com força total. Entre novas produções do gênero está mais uma versão cinematográfica de Arquivo X, que deve estrear ainda este ano.

Bitsmag