Ética da beleza

Bitsmag

Jude Law vive papel feminino de super modelo em filme que critica a indústria da moda

rage_jude-law.jpg

Jude Law vive papel feminino de super modelo em filme que critica a indústria da moda

Difícil de reconhecer, mas é ele mesmo. Jude Law está em cartaz no festival de Berlim no filme Rage, de Sally Potter. Porque ele está irreconhecível? Ele faz uma um papel feminino no filme de baixo orçamento que tem ainda no elenco Judi Dench, Steve Buscemi, John Leguizamo e a modelo Lily Cole.

O filme é parte mistério, parte retrato da indústria da moda. São monólogos de personagens como a jornalista de moda Mona Carvell, interpretada por Judi Dench, ou Merlin, o designer interpretado por Simon Abkarian. O fio condutor que reúne os depoimentos destes personagens é o personagem Michelangelo, o entrevistador que é um estudante montando sua tese sobre a indústria da moda. Michelangelo também usa a web postando clipes de seus entrevistados através de seu celular. 

É um filme de ator onde a diretora valoriza a expressão facial, o roteiro e a linguagem corporal para que seu filme interaja com o público. Em se tratando da mesma diretora britânica que fez Orlando, com Tilda Swinton, nos anos 90, para citar o filme mais conhecido de sua carreira, não se pode esperar um libelo ou uma sátira rasa da indústria da moda.

Potter vai fundo e divaga sobre a cultura da beleza e seu uso indiscriminado em prol do lucro. Jude Law se aventura aqui num papel bastante difícil, vivendo a super modelo Minx cuja trajetória vai se desvendando durante o filme.

Rage teve recepção bastante dividida no Festival de Berlim no último domingo, com parte dos jornalistas e público saindo no meio da exibição e outros elogiando a produção. O filme está em competição no Festival de Berlim, lutando pelo Urso de Ouro, prêmio que ficou com o filme brasileiro Tropa de Elite em 2008.

 

Bitsmag