Happy Go Lucky

Bitsmag

Happy Go Lucky: Mike Leigh mostra que é possível ser genuinamente feliz no mundo de hoje

happy-go-lucky.jpg

Mike Leigh mostra que é possível ser genuinamente feliz no mundo de hoje

Uma das melhores surpresas do Festival do Rio 2008 é o filme Happy-Go-Lucky, de Mike Leigh. Quem lê a sinopse não se dá conta do tom revolucionário que pode ter uma comédia sobre uma mulher na casa dos trinta, residente de Londres e simplesmente feliz. Estamos tão acostumados com a ironia que não nos parece real uma pessoa, principalmente uma mulher de uma cidade grande, ter uma atitude de vida tão positiva, devotada ao outro e inocente, desprovida de desconfiança.

Sally Hawkins ganhou o Urso de Prata em Berlim por sua atuação em Happy-Go-Lucky e já há um burburinho sobre uma indicação da atriz ao Oscar 2009. Mike Leigh discute a ironia que é um dos temperos mais usados no tão aclamado humor britânico. Poppy é engraçada, mas à primeira vista pode parecer chata, pois ela é simplesmente politicamente correta e isso de coração, sem fazer esforço. Uma professora de jardim de infância, com um senso fashion altamente discutível, Poppy não está procurando desesperadamente um marido, não está preocupada com seu futuro e vive sendo simpática com todos que a cercam. Sua companheira de apartamento a adora e alguns acreditam que as duas têm um caso. A irmã também a adora, bem como outros amigos e as pessoas com quem ela convive. O contraponto aparece no professor de auto-escola que ela contrata, uma pessoa absolutamente irritada, que vive de mau humor, um descrente. O relacionamento entre os dois rende o ponto culminante que permeia a questão central do filme: até onde vai a boa vontade de Poppy, uma pessoa tão tolerante?

Bondade e otimismo são qualidades difíceis de dramatizar sem cair no clichê Poliana. Mike Leigh cumpre a tarefa e prova seu ponto de vista com maestria. O respeitado diretor britânico mostra mais uma vez que adora as muheres, às vezes tratando-as com compaixão, como em Vera Drake, ou com extrema ternura e compreensão, como neste Happy-Go-Lucky que somente os muitos céticos não irão adorar.

Veja dois trailers diferentes de Happy-Go-Lucky e uma matéria da TV britânica dom o diretor Mike Leigh:

{youtube}cMwD7Zy6Vno{/youtube}

{youtube}P97wbtckTEY{/youtube}

{youtube}69HFS6Tie7I{/youtube}
 

Bitsmag