Beyond Ipanema

Bitsmag

seujorge_beyond-ipanema.jpg

Documentário de Guto Barra e Béco Dranoff mostra a influência atual da música brasileira nos Estados Unidos

David Byrne, um grande aficcionado da cultura brasileira e responsável pelo reconhecimento dos Mutantes e de Tom Zé no exterior, notou um fato surpreendente: o Brasil é um país que se destaca por ser um dos poucos que, há anos, tem como um de seus maiores produtos de exportação a sua cultura.

O jornalista e produtor audiovisual brasileiro Guto Barra, que tem no currículo o documentário Clash of Cultures, sobre a recente cena musical novaiorquina do electro, mora em N.York há cerca de 12 anos e tem acompanhado o interesse pela cultura brasileira, em especial a música. Para realizar o documentário
Beyond Ipanema: Ondas Brasileiras na Música Global
, em exibição no Festival do Rio dentro da programação da mostra Premiére Brasil, ele convidou o produtor musical Béco Dranoff, também radicado nos Estados Unidos. Béco é responsável pela carreira de Bebel Gilberto no exterior e produziu o DVD beneficente Red, Hot + Rio que reuniu estrelas como George Michael e Gilberto Gil. Bécoe Guto produziram mais de 50 entrevistas e cerca de 100 horas de imagens.

Beyond Ipanema: Ondas Brasileiras na Música Global não tem a intenção de fazer um apanhado completo da repercussão da música brasileira no exterior, porém traça de forma sintética uma visão bastante apurada do que significa hoje a influência de nossos artistas na cultura global a partir dos artistas e dos aficcionados da música brasileira em N.York. Tem da escola de samba no Harlem ao ex-engraxate que se tornou dono de sebo de discos e vendeu um compacto da banda que antecedeu os Mutantes, a O’Seis, por 5 mil dólares.

O documentário tem 87 minutos com entrevistas e imagens de artistas de diversos estilos de nossa música, com depoimentos e shows de gente como Diplo, David Byrne, M.I.A., Mutantes, Devendra Banhart, Tom Zé, Seu Jorge, Bebel Gilberto, Caetano Veloso, Thievery Corporation, Otto e Milton Nascimento, entre outros. Produtores, DJs e outros aficcionados comentam nossa música, da Bossa Nova, ao funk favela, o nosso electro do CSS e das Garotas Suecas e o forró, e como a globalização e a era digital estão ajudando nossa cultura a se disseminar pelo mundo.