Motoqueiros selvagens lutam por sua marca registrada

Bitsmag

hells-angel_mcqeen.jpg

Hells Angels conseguem acordo em causa contra Alexander McQueen por uso indevido do icônico símbolo “cabeça de morte”

hells-angel_mcqeen.jpg

Hells Angels conseguem acordo em causa contra Alexander McQueen por uso indevido do icônico símbolo “cabeça de morte”

A turma dos Hells Angels, a conhecida gangue internacional de motoqueiros, não gostou nada de ser usada como referência em peças da grife Alexander McQueen. Em 27 de outubro o jornal britânico Financial Times publicou matéria sobre o processo que o temido clube move contra a marca por ter usado seu símbolo mais icônico: a “cabeça de morte”, uma caveira envolta por asas em cores branca, vermelha e amarela. Entre as peças da grife Alexander McQueen que usam o logotipo dos Hells Angels estão um anel de quatro dedos, uma bolsa clutch, uma echarpe, um par de sapatos e um vestido. Eme de novembro foi divulgado pelosite WWD (Women’s Wear Daily) que os Angels conseguiram um acordo e todas as peças de Alexander McQueen com alusões ao logo do clube de motoqueiros, foram tiradas de circulação. Sites de venda online e a loja Sack’s Fifth Avenue também acataram. Ainda será decidida a quantia que irão receber em relação às peças já vendidas.

Segundo a página oficial dos Hells Angels na internet, o design do mais conhecido logotipo dos Hells Angels foi criado pelo antigo presidente da facção de São Francisco, Frank Sadilek. O logotipo e o nome Hells Angels são protegidos pela lei internacional de marcas e patentes e isso é bem destacado na página oficial do mais tradicional e conhecido clube de motociclistas do mundo.

Os Hells Angels se colocam como um grupo de pessoas que tem a motocicleta como seu principal meio de transporte. Esse grupo atua como irmandade em várias comunidades ao redor do mundo, promovendo a liberdade e a fraternidade. Na prática, no entanto, a imagem dos Hells Angels é bem chamuscada. Tráfico de drogas e homicídios são algumas das atividades criminosas associadas a membros do clube que ficou famoso pelas razões erradas, após um tumulto durante um show dos Rolling Stones em 1969, no autódromo americano de Altamont. A confusão, que está documentada no filme Gimme Shelter, de Martin Scorsese, aconteceu porque os Hells Angels, que foram contratados pelos Stones como seus seguranças, se envolveram numa briga onde uma pessoa foi morta a facadas, no meio do público do show. Desde então o lendário clube de motoqueiros vem sendo associado a episódios de crime e violência.

Não é a primeira vez que os Hells Angels processam por uso indevido de sua marca. Em 2007 o réu do processo foi a Walt Disney Company, produtora do filme Motoqueiros Selvagens, que usa o logo em jaquetas de alguns dos personagens. A figurinista dos filmes de Harry Potter, Jany Temime, também foi acusada de utilizar o logotipo dos Angels em uma criação sua. O vestido, que na verdade se parece muito com uma criação de Alexander McQueen, é utilizado no casamento dos personagens Fleur Delacour e Bill Weasley, cena que está no próximo filme da saga Harry Potter.

Os Hells Angels, sob a alcunha HAMC (Hells Angels Motorcycle Club), estão processando ainda a loja Sack’s Fifth Avenue e a loja online Zappos por venderem os produtos McQueen que utilizam o logo “cabeça de morte”.

Veja abaixo fotos das peças de Alexander McQueen que utilizam o logo "cabeça de morte", bem como o vestido que estará no próximo filme de Harry Potter (clique na imagem para abrir a galeria de fotos):

{gallery}estilobits/hellsangels-mcqueen{/gallery}

Bitsmag