Remake de Life On Mars em maus lençois

Remake de Life On Mars: Michael Imperioli de Os Sopranos corre para tentar salvar a produção

life-on-mars.jpg

Como já se previa a produção do remake da ótima série britânica Life On Mars teve vários problemas e o primeiro piloto foi rechaçado pela ABC, produtora e exibidora da série que deve estrear em setembro nos Estados Unidos.

O seriado, produzido originalmente pela BBC, conta a história do policial Sam Tyler que, após um acidente, se encontra misteriosamente no passado, trinta anos antes, e não sabe se está em coma ou se morreu.

O sucesso estrondoso da série fez com que a TV americana produzisse um remake, tentando talvez o sucesso de The Office, também um remake de um seriado inglês.

Porém o primeiro produtor da série, David E.Kelley (Ally McBeal e Boston Legal), não foi feliz na empreitada e acabou saindo da produção que está filmando um novo piloto.

imperioli.jpgQuem vem para tentar salvar o barco é Michael Imperioli, conhecido por seu papel de Christopher Montesanti, o sobrinho de Tony, na aclamada série Os Sopranos. Em Life On Mars Imperioli vai ser o detetive Ray Carling, colega de Sam em 1972.

O sucesso de Life On Mars se dá em parte num roteiro muito bem escrito onde o foco principal é a ética policial. O suspense e a situação absurda de Sam são muito bem conduzidos durante as duas temporadas, mas os casos criminais servem de plataforma para discussão da forma de agir dos policiais, mais que para mostrar o entendiante joguinho de policia e ladrão dos seriados americanos.

Gene Hunt, o chefe de Sam Tyler em 1972, tem o estilo mais duro e efetivo do policial que faz qualquer coisa para resolver um caso, mesmo que tenha de praticar atos ilícitos. Sam Tyler, mais humanizado e com a atitude de um policial da Manchester do século XXI, sempre questiona as formas de ação do chefe. No entanto a dobradinha é invencível e os dois juntos formam uma dupla infalível, apesar de brigarem todo o tempo.

Outro trunfo de Life On Mars é o elenco. John Simm, o Sam Tyler inglês, não é um protótipo de galã. Não é bonito, mas é simpático e carismático. Philip Glenister, que interpreta Gene Hunt, é engraçadíssimo e um ator de primeira. Toda a graça da série se fia no humor e no charme inglês, menos descritivo e mais sutil que o americano. Liz White, que faz a policial Annie Cartwright, por quem Sam se apaixona, é simplesmente gordinha: quando é que um seriado americano iria colocar uma protagonista gordinha, a não ser que seja uma comédia, o que não é o caso de Life On Mars?

O que se pode dizer de Life On Mars (a produção inglesa) é que não tem absolutamente nada a ver com o seriado americano tipo genérico, onde todo mundo é lindo. E para achar um elenco lindo que tenha tanta personalidade quanto o elenco inglês é realmente tarefa difícil, principalmente em se tratando de TV onde tudo se faz a toque de caixa. A transposição da obscura, misteriosa e desconhecida Manchester para a manjadíssima cidade de N.York deve ser mais um dos problemas que a produção do remake de Life On Mars nos Estados Unidos deve estar enfrentando.

Deixe um comentário:

comments

Powered by Facebook Comments