Maratona da masturbação

Bitsmag

nina_hartley.jpg

Masturbate-a-thon promove a derrubada dos preconceitos contra a masturbação enquanto levanta fundos para instituições filantrópicas

Apesar de muitos homens e mulheres de hoje não acharem a masturbação um ato degradante como gerações passadas pensavam, muitos ainda acreditam que a prática é uma tentativa egoísta e imatura de criar um substituto para o sexo real com um parceiro. O evento Masturbate-a-thon, cuja edição mais recente aconteceu em maio em São Francisco, é uma forma de promover a masturbação como uma forma aceitável e prazerosa de sexo, além de levantar fundos para organizações filantrópicas.

Em 1994 Joycelyn Elders, uma médica pediatra que trabalhou no departamento de saúde do governo americano, de Bill Clinton, foi afastada do cargo por defender a masturbação.  A médica defendia a idéia de que a masturbação é parte da sexualidade humana e deveria inclusive ser ensinada nas escolas.
Para defender a deposta profissional de saúde a empresa Good Vibrations de São Francisco resolveu criar o National Masturbation Month (mês nacional da masturbação). Good Vibrations é uma instituição com site e espaços em São Francisco onde se pode encontrar produtos e ensino sobre educação sexual. (continue lendo abaixo)


Hoje a estrela pornô Nina Hartley é a apresentadora do Maturbate-a-thon, que teve em maio sua 12a edição. O intuito é acabar com o estigma do auto-prazer e levantar fundos para o Centro de Sexo e Cultura.  É possivel participar do Masturbate-a-thon ativamente ou como voyeur. Quanto às competidoras mulheres, não há como fingir orgasmos: sexólogos conferem a respiração e demais características durante a competição.

O campeão mundial do Masturbate-a-thon é Masanobu Sato que tem o récorde mundial de ereção: 9 horas e 58 minutos. Quanto aos récordes de orgasmos eles são os seguintes: homens (6), mulheres (49). ?

Bitsmag