Jornal francês repudia premiação de “Tropa de Elite” em Berlim

Bitsmag

tropa.jpg

Jornalista do Le Monde se surpreende com personagens ridículos e repugnantes da fauna carioca

bope-tropa-de-elite.jpg

O jornalista Thomas Sotinel, do jornal francês Le Monde, escreveu uma matéria discutindo as premiações do último festival de Berlim. O juri, presidido pelo politizado diretor Costa Gravas, premiou o controverso filme brasileiro Tropa de Elite que ficou com o prêmio máximo, o Urso de Ouro.

Não é de hoje que o filme é tema de polêmica. Eu sou contra filmes que têm violência gratuita, mas Tropa de Elite, ao contrário do que eu própria pensava antes de assistir o filme, me surpreendeu. É um filme ótimo e, infelizmente, para quem não conhece o Rio de Janeiro e sabe que a realidade é muito pior que a ficção, o filme passa por "violência gratuita". 

Thomas escreve: "…Um imenso sucesso de público no Brasil, "Tropa de Elite", dirigido por José Padilha, encena o trabalho mortífero do Bope, uma unidade da polícia brasileira cujos integrantes vestem uniformes pretos adornados por uma caveira; um batalhão de operações especiais equipado com armas de guerra, que luta contra o tráfico de drogas nas favelas do Rio, recorrendo à tortura e às execuções extrajudiciárias. Uma vez que os outros grupos humanos que são encenados por Padilha – policiais corruptos, traficantes sanguinários e estudantes bem-intencionados – são, no melhor dos casos, ridículos, e no pior, repugnantes, o filme só reconhece o estatuto de personagem de maneira plena e inteira apenas aos policiais do Bope, dos quais ele sublinha os tormentos morais. A personagem central de "Tropa de Elite", o capitão Nascimento (Wagner Moura) tenta obter a sua transferência e vê o seu casamento se desfazer. Estas circunstâncias atenuantes foram suficientes para o júri da Berlinale."

Thomas, meu querido, saudações a Paris, cidade luz do primeiro mundo! Acontece que aqui no Rio os tais grupos humanos aos quais você se refere (policiais, traficantes e estudantes-bem-intencionados) são realmente repugnantes e ridículos, de formas muito piores do que mostra o filme… Dou um desconto aos estudantes-bem-intencionados, já que eles precisam se drogar, pois o tédio é insuportável com a falta do que fazer em termos culturais nesta cidade que vem se esvaziando nos últimos 20 anos… Cultura "jovem" aqui é praia-cerveja-bunda, o que justifica não só o ridículo dos personagens de Tropa de Elite, como também a resultante repugnância que desperta esse povo. 

Infelizmente Tropa de Elite é um filme que mostra a realidade carioca, sem apelação. A violência é verdadeira, bem como a cara de pau de todos os personagens… 

E você, concorda com a premiação de Tropa de Elite em Berlim?  Comente no Forum Bitsmag

Bitsmag