Marcão Morcerf mostra no Rio mix de house de Chicago salpicado de rock’n roll

565_01p

Essa história de DJ de peso ele não aguenta mais, mas que melhor expressão para adjetivar Marcão Morcerf, o roliço DJ de house alagoano, baseado em São Paulo? E house mesmo, sem nenhuma concessão, me refiro a militância inclusive. Em raras aparições nas noites cariocas, Marcão é capitão da noite Freak Chic do D-Edge em São Paulo, junto com o parceiro de longa data Luiz Pareto e de um dos mais visionários donos de clube do Brasil: Renato Ratier, ele também da militância do house mais puro, com influência do som de Chicago. No momento Marcão toca também em outro projeto próprio em São Paulo, a Jack! House of Style, hoje uma festa mensal do Ampgalaxy.

Marcão Morcerf é alagoano e foi criado numa praia particular, perto de Maceió. Cansado de tanta calma beleza o inquieto e já militante jovem Marcão mudou-se para São Paulo, isso a quase 30 anos. Na política foi radical e militou pela Libelu (Liberdade e Luta), na época em que estudava arquitetura. Em seguida, um pouco desencantado com a realidade das militância política da esquerda radical trotskista, voltou suas experimentações para as áreas de moda, trabalhando como designer, produtor e empresário por 15 anos com as lojas/brechó Universo em Desfile e FoRA de MoDA. Nos anos 90 resolveu mudar mais uma vez seu objeto de estudo e voltou-se para a música, embalado pelas loucas noites do Hell’s Club, o antológico clube que funcionava no subsolo do Columbia, em São Paulo na segunda parte dos anos 90. Foi no Hells que Marcão foi um dos protagonistas de Serial Clubber Killer hilário vídeo de Duda Leite que mostra as figuras mais carimbadas da noite paulista como o próprio Marcão, a sumida mas não menos antológica Shina Sekine e Johnny Luxo.

Hoje Marcos Morcerf é um dos mais requisitados DJs de house do país, representado pela estelar agência Hypno. Marcão escolheu o house porque, segundo ele, é o estilo que pode melhor incorporar os conhecimentos musicais que cultivou em sua vida e em sua grande coleção de discos. Em época de muito bootleg e do hype da miscelânea que é o electro, Morcerf tem explorado todas essas possíveis fusões do house com músicas de outras épocas e estilos. São influências como a black music, a disco, o rock e o pop de qualidade, o jazz, o hip hop, o reggae & dub, a Música Brasileira e a bossa nova, o funky e o psicodelismo black, os rítmos tribais e os vocais, a música negra norte-americana, que fizeram Marcão optar pela house music, um estilo de música eletrônica mais quente, cheio de emoções e paixões.

Morcerf foi a poucos anos também um dos maiores incentivadores do estilo techouse que gerou no Brasil vários bons núcleos de festas pelo país afora. Apresentou-se ao lado de importantes nomes internacionais como, Asad Rizvi-UK, Wyatt Earp-USA, Pure Science-UK, Lee Burridge- UK, Ravi McArthur-UK, Tom Gillieron-UK, Ian Cruickshank-UK, A.J. Letty-UK, Mike Parsons-UK , Dave Mothersole-UK, Robert Owens-USA, Luke Solomon-UK , Mazi Namvar-USA , Dizzy-USA , James Curd-USA, DIZ Washington-USA , DJ Heather-USA , JEF K -France , Halo Varga – USA e Jamie Thimmes – USA.

Em 2003, Marcos Morcerf iniciou uma incursão no mundo da produção musical. Resmungo, sua música em parceria com o DJ Gabo, tem videoclipe em exibição na MTV, dirigido por Duda Leite, tendo sido filmado em Miami-USA. Barraco é outra faixa produzida pela dupla Marcão-Gabo.

Deixe um comentário:

comments

Powered by Facebook Comments