Momento Pindaíba

Bitsmag

Ninguém é tão feio como na identidade, tão bonito como no Orkut ou tão feliz como no Facebook…

“Ninguém é tão feio como na identidade, tão bonito como no Orkut, tão feliz como no Facebook, tão simpático como no Twitter, tão ausente como no Skype, tão ocupado como no MSN e nem tão bom como no Curriculum Vitae”

Frase pescada por Helga Valesca Vianna (minha querida Val)

“O mundo encantado do pouca renda”

Sou um esteta de nascença e por hábito observo o planeta que me rodeia com olhos bem atentos a pequenos detalhes e curiosas repetições. Já faz muito tempo em que reparo no dito mundo de pouca renda, ou seja, o mundo real, aquela estética do baixo custo e da venda popular que pipoca em grande escala em torno de uma cidade como a do Rio de Janeiro. Tem coisas que me intrigam sempre e que nunca consegui achar uma explicação plausível. Primeiramente, porque o mobiliário barato, ou melhor, vendido em comércio de preços diminutos e facilidades imensuráveis, tem sempre estampas tristes e sóbrias demais somadas à combinação de cores feias, junto a formas horrendas e acabamentos estranhos? Exemplo: o famoso conjunto de sofá e poltronas vendidos às pencas em mega lojas pop. Já reparou que as cores são quase sempre marrom titica de criança com rosa pêssego desbotado, bege tristonho com verde oliva sem graça ou vinho barato com cinza poeira.

(Continue lendo no blog Mau Comportamento de Marcelo De Gang)

Bitsmag