Estréia dia 25 o Festival do Rio 2008

Bitsmag

strummer_capa.jpg

Festival do Rio 2008: Confira as mostras e os destaques do maior festival de cinema da América Latina

joe-strummer-the-future-is-unwritten-poster.jpg

Confira as mostras e os destaques do maior festival de cinema da América Latina

Por: Divulgação

Durante 15 dias o Rio de Janeiro será a capital oficial do cinema. O Festival do Rio vai apresentar 350 filmes de mais de 60 países, exibidos em 30 locais da cidade, distribuídos entre cinemas e lonas culturais.

O Festival começa dia 25 de setembro, em noite de gala, com exibição do Última Parada: 174, de Bruno Barreto. A partir do dia 26, a festa será do público, que vai poder conferir os filmes mais esperados, descobrir raridades, participar de debates e de sessões especiais com a presença de personalidades do cinema mundial.
 
A edição 2008 aposta na diversidade: os 350 filmes, distribuídos por 20 mostras, vão desde longas inéditos de diretores consagrados, como Vicky Cristina Barcelona, de Woody Allen, Youth without Youth, de Francis Ford Copolla, Queime Depois de Ler (Burn After Reading), de Joel Coen e Ethan Coen, passando pelos últimos filmes de Lucrecia Martel, La mujer sin Cabeza, e Pablo Trapero, La Leonera, Filth and Wisdom, de Madonna, até pérolas cinematográficas que dificilmente serão exibidos de novo no Brasil. (abaixo outros títulos)

O Festival dedica uma mostra especial ao cultuado cineasta Derek Jarman, outra aos irmãos Taviani; coloca o Reino Unido em foco, com cerca de 20 longas de sua mais recente produção, na mostra Foco UK; promove a Live Cinema, mostra com filmes projetados na tela e acompanhados por djs ao vivo; pelo terceiro ano abre espaço para os filmes realizados por celular na Pocket Films, presta um tributo ao Centenário da Imigração Japonesa, com flimes de principais realizadores nipônicos, Masahiro Kobayashi e Yoji Yamada, programou um seleção de documentários sobre ícones da Música, como Patti Smith, Célia Cruz, Philip Glass, Bob Marley e muito mais.

A Cinelândia será o ponto de encontro do público com convidados internacionais e com o cinema nacional. As sessões de gala e popular da Première Brasil acontecem nos cinemas Odeon Petrobras e Palácio e alguns debates, no Centro Cultural da Justiça Federal.

Este ano o Festival inaugura nova sede: localizado no Galpão de Cultura e Cidadania, o Pavilhão do Festival será o pólo central do Cine Encontro – com debates e sessões para o público e do RioMarket – área de negócios do evento, voltada para profissionais do audiovisual.

O Cine Encontro tem como objetivo colocar o espectador em contato direto com quem faz cinema, através de descontraídos debates com os realizadores e atores/atrizes dos filmes da Première Brasil, convidados internacionais de outras mostras e com representantes do meio cinematográfico.

O RioMarket  2008 vai organizar rodadas de negócios para Cinema e TV, fazendo o intercâmbio entre produtores brasileiros com distribuidores e compradores do mundo inteiro, além de ciclos de palestras. Entre os temas debatidos estão: co-produção internacional; quem é o consumidor atual, o que o público quer ver e como se comunicar com ele; oportunidades do cinema digital e direitos de imagem e publicidade, com a participação dos melhores profissionais da indústria audiovisual internacional, entre produtores, diretores, agentes, distribuidores e broadcasters. Algumas palestras são gratuitas e para todos os eventos do RioMarket é necessário fazer inscrição no site www.riomarket.com.br.

Uma novidade no RioMarket  é o I Concurso Latino-Americano de Projetos de Longa-Metragem, fruto de uma parceria entre o Festival do Rio e o Latin American Training Center (LATC) que conta com o apoio de instituições de roteiros internacionalmente reconhecidas, como a Universidade de Miami, FIA & Red Idea. O objetivo do concurso é descobrir novos talentos, criar oportunidades de negócios e contribuir para o crescimento da  indústria cinematográfica  latino-americana.
 
Filmes inéditos, exibição de clássicos, mostras especiais, retrospectivas, seminários, debates e encontros com diretores e atores internacionais fazem do evento um dos mais importantes encontros de cinema da América Latina.

Festival do Rio 2008

PANORAMA DO CINEMA MUNDIAL – Filmes de diretores consagrados, filmes premiados e exibidos nos principais festivais do mundo;
Bam gua nat (Night and Day), de Hong Sang-soo (Coréia do Sul)
Birdwatchers, de Marco Bechis
Caos Calmo, de Antonio Luigi Grimaldi
Heya fawda (Chaos), de Youssef Chahine, Khaled Youssef (França)
Gomorrah, de Matteo Garrone
Il Divo, de Paolo Sorrentino
Katyn, de Andrzej Wajda (Polônia)
La Frontière de L’Aube, de Philippe Garrel
Paris, de Cédric Klapisch
Rachel Getting Married, de Jonathan Demme
Standard Operating Procedure, de Errol Morris
Synecdoche, New York, de Charlie Kaufman
Four Nights with Anna, de Jerzy Skolimowski
Un secret (A secret), de Claude Miller (França)
Alexandra (Alexandra), de Alexander Sokurov (Rússia)
Les Amours d’Astrée et de Céladon (The romance of Astrea and Celadon), de Eric Rohmer (França)
Plus tard, tu comprendras… (One Day, You Will Understand  ), de Amos Gitaï (França)
Julia (Julia), de Erick Zonca (França)
Om Shanti Om (Om Shanti Om), de Farah Khan (Índia)
Transsiberian (Transsiberian), de Brad Anderson (Espanha)
Love Comes Lately (Love Comes Lately), de Jan Schütte (Alemanha)
Wu Yong (Useless), de Jia Zhang-Ke (China)
Miryang (Secret Sunshine), de Lee Chang-Dong (Coréia do Sul)
Delta (Delta), de Kornél Mundruczó (Hungria)
Wolke 9 (Cloud 9), de Andreas Dresen (Alemanha)
Sanguepazzo (Wild Blood), de Marco Tullio Giordana (Itália)
O’Horten (O’Horten), de Bent Hamer (Noruega)
I.O.U.S.A. (I.O.U.S.A.), de Patrick Creadon (Estados Unidos)
Elegy (Elegy), de Isabel Coixet (Estados Unidos)
RocknRolla (RocknRolla), de Guy Ritchie (Reino Unido)
Nights in Rodanthe (Nights in Rodanthe), de George C. Wolfe (Estados Unidos)
Choke (Choke), de Clark Gregg (Estados Unidos)
Julgamento (The Trial), de Leonel Vieira (Portugal)
Un Giorno Perfetto (A Perfect Day), de Ferzan Ozpetek (Itália)
Disgrace (Disgrace), de Steve Jacobs (Austrália)
The Visitor (The Visitor), de Tom McCarthy (Estados Unidos)

********

MOSTRA EXPECTATIVA – As grandes apostas do cinema contemporâneo, filmes de diretores que despontam no circuito internacional;
Aquele querido mês de agosto, de Miguel Gomes
Ballast, de Lance Hammer
Boogie, de Radu Muntean
Buddha Collapsed Out of Shame, de Hana Makhmalbaf
En La Ciudad de Sylvia, de José Luis Guerin
Frozen River, de Courtney Hunt
Foul Gesture, de Itshak ‘Tzahi’ Grad
I am Because we are, de Nathan Rissman
Involuntary, Ruben Ostlund
Mermaid, de Anna Melikyan
The Wackness, de Jonathan Levine
A Simple Heart, ed Marion Laine
Soi Cowboy, de Thomas Clay
Son of a Lion, de Benjamin Gilmour
Taken, de Pierre Morel
The Caller, de Richard Ledes
The guitar, de Amy Redford
Walt & El Grupo, de TheodoreThomas
Wonderful Town, de Aditya Assarat

****

mostra MIDNIGHT ESPECIAL – ÍCONES DA MÚSICA:

CSNY: Deja Vu (CSNY: Deja Vu), de Bernard Shakey (Neil Young)
Café de los maestros (Café de los maestros), de Miguel Kohan – Leopoldo Federico, Lágrima Ríos, Aníbal Arias, José Libertella e Luis Stazo são grandes mestres do tango argentino. Entre ensaios e performances ao vivo, os músicos relembram histórias da época de ouro do tango e dão seu testemunho sobre a maior tradição cultural argentina.
Patti Smith: Dream of Life (Patti Smith: Dream of Life), de Steven Sebring
Anita O’Day: The life of a Jazz Singer (Anita O’Day: The life of a Jazz Singer), de Robbie Cavolina, Ian McCrudden
Africa Unite (Africa Unite), de Stephanie Black – Na data em que Bob Marley completaria 60 anos, sua família decide fazer uma extensa comemoração.
Celia The Queen (Celia The Queen), de Joe Cardona, Mario de Varona
documentário sobre a cantora cubana Celia Cruz , a Rainha, como é chamada por seus fãs
Glass: A Portrait of Philip in Twelve Parts (Glass: A Portrait of Philip in Twelve Parts), de Scott Hicks. Com Philip Glass, Woody Allen, Errol Morris, Godfrey Reggio, Martin Scorsese
Joe Strummer: The Future Is Unwritten (Joe Strummer: The Future Is Unwritten), de Julien Temple
Joe Strummer, ex-líder da banda punk The Clash, uma biografia-homenagem deste ícone contraditório, que, com suas músicas, traçou um panorama crítico de nosso tempo. Melhor documentário no British Independent Film Awards 2007.
Wild Combination: A Portrait of Arthur Russell (Wild Combination: A Portrait of Arthur Russell), de Matt Wolf- O documentário recupera imagens de arquivo do cellista americano, morto em 1992 em decorrência da AIDS, e vai ao encontro de antigos amigos e admiradores, num tributo à memória de um homem que dedicou a vida à busca pela perfeição musical. Exibido no Festival de Berlim de 2008.

****

FOCO UK (alguns títulos)
And when did you last see your father?, de Anand Tucker (Reino Unido)
With Gilbert & George, de Julian Cole (Reino Unido)
Derek, de Isaac Julien (Reino Unido)
In Bruges, de Martin McDonagh (Reino Unido)
Man on Wire, de James Marsh (Reino Unido)
Hunger, de Steve McQueen (Reino Unido)
A very British Gangster, de Donal MacIntyre (Reino Unido)
Good, de Vicente Amorim (Reino Unido)
Battle for Haditha, de Nick Broomfield (Reino Unido)
Of Time and the City, de Terence Davies (Reino Unido)
Easy Virtue, de Stephan Elliott (Reino Unido)
The Duchess, de Saul Dibb (Reino Unido)
Brick Lane, de Sarah Gavron (Reino Unido)
The boy in the striped pyjamas, de Mark Herman (Reino Unido)
Skin, de Anthony Fabian (Reino Unido)

********

MIDNIGHT MOVIES – A mais cult das mostras, um canto de bizarrices e transgressões com os melhores filmes experimentais;

Black House  (Geomeun jib), de Shin Terra (Coréia do Sul) Baseado no romance de Kishi Yusuke.
Filth and Wisdom, de Madonna  (Reino Unido)
A Complete History of My Sexual Failures, de Chris Waitt/  Reino Unido
Surveillance, de Jennifer Lynch Estados Unidos – Alemanha Exibido no Festival de Cannes 2008.
The Good, The Bad, The Weird, de Kim Jee-Woon / Coréia do Sul – (Cannes 2008, fora de competição)
Bigger, Stronger, Faster*, de Christopher Bell Estados Unidos – 2008 / Cor Christopher Bell e seus dois irmãos cresceram idealizando gigantes como Arnold Schwarzenegger, Sylvester Stallone e Hulk Hogan, representantes do sonho americano. Neste documentário pessoal, Christopher procura entender os perigos e a importância dos esteróides na vida de diversas pessoas.
–  Pineapple Express, de David Gordon Green (Estados Unidos) Dale Denton, maconheiro e preguiçoso, mantém uma relação estritamente profissional com o igualmente preguiçoso traficante Saul Silver, que lhe oferece um tipo novo e poderoso de maconha, o Expresso Abacaxi.
–  9to5 – Days in Porn (9to5 – Days in Porn) –  de Jens Hoffmann Belladona, é um ícone pornô que sonha morar com sua família em uma comunidade hippie.
Canção de Baal, de Helena Ignez  Brasil –  2008 Nessa fábula musical antropofágica consta a voz original de Bertolt Brecht e a entrevista de Einstein no Brasil, onde foi comprovada a Teoria da Relatividade.
 
******

MUNDO GAY – filmes premiados, exibidos em diversos festivais do mundo e que dificilmente serão exibidos comercialmente por aqui;
Dream Boy, de James Bolton
Quemar las Naves, de Francisco Franco-Alba
The Amazing Truth About Queen Raquela de Olaf de Fleur Johannesson (Islândia) Prêmio Teddy no Festival de Berlim de 2008.
The Living End: Remixed and Remastered (The Living End: Remixed and Remastered), de Gregg Araki (Estados Unidos)
Tanaz Eshaghian (Be Like Others), de Tanaz Eshaghian (Canadá)
Quemar las naves (Burn the Bridges), de Francisco Franco-Alba (México)
Dream Boy (Dream Boy), de James Bolton (Estados Unidos)
Woman’s heart, de Kiff Kosoof (Itália)
Improvvisamente, l’inverno scorso (Suddenly, Last Winter), de Gustav Hofer, Luca Ragazzi (Itália)
Clandestinos (Clandestinos), de Antonio Hens (Espanha)
For The Bible Tells Me So (For the Bible tells me so), de Daniel Karslake (Estados Unidos)
Bi the Way (Bi the Way), de Brittany Blockman, Josephine Decker (Estados Unidos)
Rainhas (Queen of Brazil), de Fernanda Tornaghi, Ricardo Bruno (Brasil)
Le nouveau monde (The New World), de Etienne Dhaene (França)
– Chris & Don. A Love Story (Chris & Don. A Love Story), de Tina Mascara, Guido Santi (Estados Unidos)

*****
PREMIÈRE BRASIL – A mais concorrida e prestigiada do Festival do Rio e única mostra competitiva do evento. Os filmes já foram divulgados anteriormente. A lista completa está disponível no site www.festivaldorio.com.br

*****
PREMIÈRE LATINA – as mais recentes produções do cinema latino; 

Año uña, de Jonás Cuarón
Desierto Adentro, de Rodrigo Plá
El Nido Vacio, de Daniel Burman
Heridas, de Roberto Flores
La buena vida, de Andrés Wood
La leonera, de Pablo Trapero 
La mujer sin Cabeza, de Lucrecia Martel
La Rabia, de Albertina Carri
La Sangre Brota, de Pablo Fendrik
Liverpool, de Lisandro Alonso
Los Bastardos, de Amat Escalante
Sleep Dealer, de Alex Rivera

******

MOSTRA GERAÇÃO – uma seleção programada para crianças, jovens e professores. A mostra oferece oficinas de produção, realiza o Vídeo Forum, programa onde são apresentados trabalhos audivisuais totalmente feitos por crianças e adolescentes e, claro, exibe filmes de diversas partes do mundo: 

Covardes (Cobardes), 2007, Cor, 89, Espanha, de José Corbacho e Juan Cruz
Somos Todos Diferentes (Taare Zameen Par), 2007, Cor, 165, Índia de Aamir Khan
Borboletas (Pirret, Butterflies) 2007, Cor, 52, Suécia, de Kjell-Ake Andersson Sara tem seis anos e um dia descobre que pode voar. Não é sempre que ela consegue. Para sair do chão, a menina precisa sentir "borboletas no estômago".
A Substituta (Vikaren) 2007, Cor, 93, Dinamarca, de Ole Bornedal. Na Dinamarca, uma turma de sexta série recebe sua professora substituta, Ulla e aos poucos descobrem que ela é, na verdade, uma alienígena.
O Pequeno Traidor (Haboged Hakatan, The Little Traitor) 2007, Cor, 87, Israel, de Lynn Roth Baseado no livro Pantera no Porão, de Amos Oz.
O Prêmio (Sabz-e-Koochak, Standing Alone) 2007, Cor, 90, Irã, de Gholam-Reza Ramezani –  Mohammad tem doze anos, estuda numa classe só de meninos e acabou de vencer uma competição interescolar de redação. Uma série de incidentes faz com que Mohammad tenha que correr contra o tempo para chegar à cerimônia.
– 5 centímetros por segundo (5 centimeters per second) 2007, Cor, , Japão, de Makoto Shinkai.
 
*******

MOSTRAS DOX e FRONTEIRAS
– documentários internacionais, gênero que se estabeleceu como uma das mais vigorosas vertentes do novo milênio.

Fronteiras:
– The Art Star and The Sudanese Twins (The Art Star and The Sudanese Twins),
de Pietra Brettkelly (Nova Zelândia)
Laji’oun mada el hayat (Refugees for life), de Hady Zaccak (Emirados Árabes Unidos)
Seaview (Seaview), de Nicky Gogan, Paul Rowley (Irlanda)
Life After The Fall (Life After The Fall), de Kasim Abid (Reino Unido)
Mazare Mariya (Maria’s Grotto), de Buthina Canaan Khoury (Palestina) – Na sociedade tradicional palestina, uma mulher que comete adultério desonra sua família e deve ser punida com a morte. O documentário acompanha a história de quatro mulheres ligadas a essas "mortes por honra";
Sozdar, zij die haar belofte nakomt (Sozdar, she who lives her promise), de Annegriet Wietsma (Holanda)
Double Exposure (Double Exposure), de Ruanne Abou-Rahme (Reino Unido/Palestina)
Flying on One Engine (Flying on One Engine), de Joshua Z. Weinstein (Estados Unidos)
Prestes Maia – Freiheit in Beton (Prestes Maia – Freedom in Concrete), de Jonas Ginter, Levin Peter, Ira Wilke (Alemanha)
Ishumars, les Rockers Oubliés du Désert (Ishumars: The Forgotten Rockers of the Desert), de François Bergeron (França)
Après la guerre, c’est toujours la guerre… (After the War…), de Samir Abdallah (Líbano)
A candle for the Shabandar Cafe (A candle for the Shabandar Cafe ), de Emad Ali (Iraque)
A stranger in his own country (A stranger in his own country), de Hassanain al Hani (Iraque)
Leaving (Leaving), de Bahram Al Zuhairi (Iraque)
Dr Nabil (Dr Nabil), de Ahmed Jabbar (Iraque)
Documentary Film Course march 2006 (Documentary Film Course march 2006), de Ahmed Kamal (Iraque)
Esse homem vai morrer – um faroeste caboclo (This man will die), de Emilio Gallo (Brasil)

****

Dox:

Victoire Terminus (Victoire Terminus), de Renaud Barret, Florent de la Tullaye (França)
Darling! The Pieter-Dirk Uys Story (Darling! The Pieter-Dirk Uys Story), de Julian Shaw (Austrália)
Trouble The Water (Trouble The Water), de Tia Lessin, Carl Deal (Estados Unidos)
Durakovo: Village des fous (Durakovo: Village of Fools), de Nino Kirtadze (França)
Secrecy (Secrecy), de Peter Galison, Robb Moss (Estados Unidos)
C’est dur d’être aimé par des cons (It’s Hard Being Loved By Jerks), de Daniel Leconte (França)
They killed Sister Dorothy (They killed Sister Dorothy), de Daniel Junge (Estados Unidos)
Orgasmic Birth (Orgasmic birth), de Debra Pascali-Bonaro (Estados Unidos)
Gonzo: The Life and Work of Dr. Hunter S. Thompson (Gonzo: The Life and Work of Dr. Hunter S. Thompson ), de Alex Gibney (Estados Unidos)
La Mère (The Mother), de Antoine Cattin, Pavel Kostomarov (Suíça)
Faubourg Tremé: The Untold Story of Black New Orleans (Faubourg Tremé: The Untold Story of Black New Orleans), de Dawn Logsdon, Lolis Eric Elie (Estados Unidos)
Une Affaire de Negres (Black Business), de Osvalde Lewat-Hallade (França)
Lucio (Lucio), de Aitor Arregi, Jose Mari Goenaga (Espanha)

*****

TRIBUTO AO CENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA – alguns títulos:

–  Sukiyaki Western Django
(Sukiyaki Western Django), Takashi Miike (Japão)
Sad Vacation (Saddo Bakeshon), Shinji Aoyama (Japão)
The Rebirth (Ai no Yokan), Masahiro Kobayashi (Japão)
Tokyo Sonata (Tokyo Sonata), Kiyoshi Kurosawa (Japão)
Ponyo on the Cliff by the Sea (Gake no ue no Poniyo), Hayao Miyazaki (Japão)
Achilles and the Tortoise Akires to Kame, Takeshi Kitano (Japão)

Bitsmag