Coluna Bafo: Renato Ratier

Bitsmag

Coluna Bafo: Renato Ratier

(Entrevista publicada em 2/12/2004)

 renato-ratier.jpg

Renato Ratier – empresário e DJ tornou-se um nome comum na cena eletrônica nacional. Dono dos clubes D-Edge em São Paulo e em Campo Grande ele tambem é visto tocando em clube e festivais pelo país.

Um dos responsaveis pela cena em Campo Grande, Renato não tem medo de ousar e abriu a filial de seu clube em SP há pouco mais de um ano. O D-Edge paulista é hoje considerado a melhor pista no Brasil e tem uma programação eclética, recebendo sempre atrações internacionais de peso.

Na Bafo SP desta semana Renato fala um pouco de sua carreira e de seus projetos. Confira !

Bafo SP: Como você começou a tocar ?

Renato Ratier: Eu sempre fui um apaixonado por musica quando criança, tinha uns 5 anos e não deixava as empregadas trabalharem. Elas tinham que ficar dançando e ouvindo música comigo. Eu comecei a tocar pra amigos em festinhas em casa em 96, mas
profissionalmente faz 4 anos.

Bafo SP: O que você está preparando para a festa
D-Edge Concept ?

Renato Ratier: A festa D-Edge Concept é uma festa de grande porte para mostrar o conceito musical e visual do clube. A festa D-EDGE Concept terá duas pistas, das quais uma será dentro do próprio clube e a outra sera montada no estacionamento ao lado, com um tunel de ligação entre as duas. Três grandes nomes internacionais (Richie Hawtin, Diz Washington e Magda) e mais sete atrações nacionais (Renato Ratier, Marcos Morcerf, Luiz Pareto, Anderson Noise, George ACTV, Techjun, Nicolas Lutz). O
conceito visual segue a linha do clube com vídeos e animações
de Muti Randolph, ainda contamos com uma area externa, a
produção é feita por Cacá Ribeiro. Bom, referente a pergunta,
com certeza vamos fazer uma festa especial para o aniversário
do clube, mas isso é para abril do ano que vem.

Bafo SP: Este ano você esteve em turnê pelos EUA , onde se apresentou?

Renato Ratier: Me apresentei em N.York, na festa tradicional da Dynagroove em Los Angeles, na festa do selo Doubledown em San Diego e no club The Top em San Francisco. Estava com data marcada em Chicago e Denver, mas fiquei com uma " speedgripe" e não tive condições.

Bafo SP: Você vai mesmo abrir uma filial do D-Edge no Rio de Janeiro ou é apenas boato ?

Renato Ratier: Com certeza gostaria muito de poder fazer, só que as coisas tem que ter planejamento: a escolha do local certo e a hora apropriada. O Rio de Janeiro é meio burocrático para abertura de casa noturna. Se tiver algum espaço bacana e condições adequadas para montar o clube me avisem .

Bafo SP: Quem sao seus djs favoritos ?

Renato Ratier: Derrick Carter, Mark Farina e Heather.

Bafo SP: E a cena em Campo Grande o que tem de novo acontecendo por lá?

Renato Ratier: Estamos sempre levando DJs internacionais e
de outros estados também para tocar por lá. Prezamos pela
qualidade como aqui em São Paulo.

Bafo SP: E quem são os destaques da cena local atualmente?

Renato Ratier: Aqui no Brasil meus parceiros de Freak Chic, Pareto e
Morcerf. Tem o Marcio Vermelho do projeto Néctar também, o
Gil Barbara. Do Rio, o Jonas, Tatá e MM. Acho muito bom o
Droors de Brasília também. Em Campo Grande o Renan Motti e
André X.

Bafo SP: Club, Rave ou Festivais ?Na sua opinião qual o melhor lugar para discotecar ?

Renato Ratier: Club. Pela proximidade que você fica com o publico e quem vai te ouvir em um clube é porque realmente está afim de ouvir a sua música.

Bafo SP: Você está produzindo música ?

Renato Ratier: Não, gostaria de estar me dedicando à produção, mas preciso arrumar tempo. Com certeza pro ano que vem vou arrumar um tempo na minha vida para me dedicar, porque realmente música me dá prazer.

Bafo SP: Você está preparando alguma nova edição da Freak Boat para o verão carioca?

Renato Ratier: Estamos preparando, não há uma data certa. Gostaria de estar fazendo uma festa dentro de um avião, por exemplo; a pessoa entra no avião, a festa começa lá dentro, com pick up, pista, tem que ser um cargueiro, aí quando chega na cidade a festa continua. Vai ficar todo mundo bêbado, né? Porque lá em cima a dose bate por três! (risos)

Bitsmag