Bitsmag conversa com a DJ drag Girlina

Bitsmag

DJ drag Girlina traz o som das pistas de N.York

girlina.jpg
(matéria de 17/03/2005)

Entre as características que ficam patentes quando se conversa com um novaiorquino típico e extrovertido está a facilidade de articulação, a clareza de idéias, a naturalidade e o aspecto cosmopolita. Girlina, a DJ drag queen que se apresenta hoje no Dama de Ferro, tem todas estas características, além de uma simpatia e alegria de viver que são contagiantes. Num delicioso jantar no restaurante Natraj, um indiano do Leblon que seria uma das únicas opções para vegetarianos na cidade e aonde fomos parar como que por encanto, Girlina, que é vegetariana, mais o DJ Ricardo T. e eu, tivemos momentos agradabilíssimos conversando sobre a noite de N.York ontem e hoje, além de elocubraões filosóficas sobre a vida…

Esta é a primeira vez de Girlina no Rio, mas ela já tocou em Brasília algumas vezes, em outras viagens ao Brasil. Hip Hop, House, OldSkool, Freestyle e 80’s beats estão no cardápio da artista, que traz em sua bagagem a vivência de uma das etapas mais férteis e cheias de folclore da noite novaiorquina.

Ricardo e Girlina se conheceram no East Village Crowbar, espaço de memoráveis performances das melhores drag queens de Manhattan. DJ Girlina começou a carreira de palcos como bailarina mas a performance lhe permitiu afinar sua arte. Pouco depois mergulhou na cena clubber da cidade, tornou-se DJ e foi protagonista e testemunha de um movimento que estabeleceu definitivamente a cultura das drags no mundo.

Belíssima e elegante a DJ é também uma fashionista de carteirinha e me causou inveja quando mostrou sua novíssima bolsa Balenciaga de couro verde e suas bijuterias maravilhosas. Um estilo despojado, clean e bem esportivo, ao contrário do que se possa pensar, é o visual de Girlina, que contou histórias deliciosas de sua vida, de maneira sempre eloqüente. Das participações no filme Wigstock e no evento em si, como uma das maiores estrelas, ou de suas investidas na passarela, em desfiles de Thierry Mugler ou Dolce & Gabanna de quem é bastante amiga, ou ainda contando sobre os clubes onde mantém residência hoje em N.York, como Muzak is Skool, Quoe, Boys Room, Plaid Hip Hop, Slide e Black @ Club Exit, Girlina mostra que a Big Apple, tão sofrida ultimamente depois dos ataques de 11 de setembro, continua tão animada como sempre e repleta de mentes e almas inteligentes e sedutoras como ela.

Bitsmag