Arte, Mobilidade e Interatividade no Nokia Trends

Bitsmag

selfcinema.jpg

Público pode colaborar através de site com as obras que estarão expostas no evento

selfcinema.jpg

A artista plástica Giselle Beiguelman é a curadora da área de arte multimídia do Nokia Trends 2007. O espaço, batizado de Arte, Mobilidade e Interatividade, privilegia a colaboração com o público e as obras que estarão em exibição no sábado, 8 de dezembro, mostrarão a intervenção que o público pode fazer através do site Nokia Trends – http://www.nokiatrends.com.br/
São oito oobras que serão apresentadas de nomes já conhecidos como como Lucas Bambozi, Vera Bighetti, Giselle Beiguelman, Eder Santos, e artistas emergentes, como Martha Gabriel Helga Stein e Cícero Inácio da Silva, Maurício K. e o Urban Laser Design, pilotado por Fernando Gustavo de Lamardo e a equipe da Grafiteria.

Confira abaixo as obras que podem ser modificadas através do site e as obras que poderão receber interferência na própria exibição:
 
Net Aura, por Giselle Beiguelman e Maurício K.
Trata-se de uma instalação interativa baseada em comando de voz, com referência ao aparelho Nokia 6120, que contempla a tecnologia 3G, apropriada para download em alta velocidade de arquivos em celular. A Net Aura utiliza um software especialmente customizado para esse projeto que tranforma a voz dos interatores em imagem animada numa interpretação única e instransferível como se fosse a impressão digital da voz.

A partir do site www.netaura.org  e www.nokiatrends.com.br, é possível visualizar um número de telefone para que o público ligue via celular, telefone fixo ou Skype e grave uma mensagem de 10 segundos. As mensagens são arquivadas em formato MIDI, transcodificadas em imagens, e arquivadas no site. Os autores que ligarem pelo celular recebem uma mensagem de texto SMS que os notifica sobre a disponibilização da sua aura. No espaço expositivo, durante o Nokia Trends, também será possível alimentar o site enviando mensagens e interagir com a suas projeções ou apenas observá-las flutuando como uma constelação e escutar a Net Aura das pessoas.
 
Locative Paiting, por Martha Gabriel
O Locative Paiting aposta na tendência do uso das mídias locativas como suporte artístico e transforma o simples ato de localizar-se em arte. Nesse caso, o GPS do aparelho Nokia 6110 Navigator é a referência desta pintura coletiva gerada e alterada pelo CEP dos emissores que interagem, tanto na área do evento como de qualquer lugar no mundo, pela internet. A imagem projetada pelo conjunto das ações do usuário e do software desenvolvido pela artista Martha Gabriel se torna acessível via web e celular. Cada CEP inserido no site se transforma em uma pincelada que tem suas cores escolhidas pelos interatores e sua espessura calculada pela distância geográfica do participante em relação ao último “co-pintor”dessa tela.
 
De acordo com as interações, a obra vai se transformar em uma teia de pessoas conectadas pela possibilidade criativa determinada, simplesmente, pela distância entre elas. Ao entrar no site www.locativepainting.art.br <http://www.locativepainting.art.br> e se cadastrar com CEP e número de telefone, o participante entra no canal da obra e confere sua pincelada, que também é enviada por e-mail. Ao correr o mouse sobre a obra, pode-se obter a longitude e latitude de seu ponto de origem, além de encontrar amigos pelos seus telefones e CEPs.
 
GPSFACE, por Cícero Inácio Silva
O projeto GPSFACE, também baseado em mídias locativas, explora a formação de redes sociais. Permite a localização física real de qualquer pessoa que tenha instalado o sistema em seu celular, por meio da utilização de um protocolo de localização com recursos do GPS. O sistema também descreve o caminho necessário para se chegar até o proprietário do celular requisitado, bastando, para isso, digitar o nome da pessoa que se quer localizar ou alguma característica (tag) com a qual ela se cadastrou no sistema online.
 
O GPSFACE é um sistema onde o usuário se cadastra e executa o download do software localizador para celular ao mesmo tempo em que registra seus dados e as informações de perfil (tags) no servidor da obra, que se autodenomina “comunidade social viva, sem a necessidade de desktop ou laptop”. Criado pelo artista Cícero Inácio Silva e pelo programador Marcos Khoriati, opera com o conceito de comunidade virtual e funciona nos celulares com GPS e na Internet. Com ele, é possível atuar no mundo real, saber onde uma pessoa está e como chegar até ela por meio de um localizador customizado. Cada usuário pode se cadastrar e inserir tags que lhe permitirão ser encontrado por meio de seus interesses ou de seu nome cadastrado no sistema.
 
Durante o Nokia Trends, o sistema estará disponível para download via bluetooth e Wi-Fi e será possível a criação de comunidades entre o público que tiver preferência por uma das atrações ou por uma das obras e afins. Um amigo que se perder da sua turma poderá, por meio do GPSFACE, localizar seus amigos e saber a quantos metros e em que direção ele está no espaço da festa ou fora dele. O aparelho E65 e o GPS dos aparelhos Nokia 6110 Navigator e Nokia N500 foram a referência para a realização desta obra inédita e que revoluciona o conceito de comunidades de relacionamento.
 
Self Cinema, por Vera Biguetti
Durante o Nokia Trends, o Self Cinema, criado pela artista multimídia Vera Biguetti, vai gerar imagens estereoscópicas psicodélicas que irão rodar randomicamente, a partir de imagens gravadas pelo público no espaço expositivo. A artista utiliza um software que converte o celular em uma webcam e que está disponível para download em www.artzero.net/selfcinema <http://www.artzero.net/selfcinema>  ou pelo site Nokia Trends, permitindo que o público participe do projeto com seu aparelho ou utilizando os aparelhos Nokia N76 que a artista usou no seu projeto. Além disso, o público vai poder dançar equipado com aparelhos Nokia 5200.
 
No espaço expositivo, o aparelho Nokia 5200 possui um programa chamado Sensor, que avisa ao portador se alguém no recinto está compartilhando a mesma trilha sonora. Assim, a proposta é fazer cinema esteroscópico e dança com as imagens 3-D em movimento exibidas no espaço de acordo com o ritmo de sua trilha, procurando parceiros para compartilhar a experiência.

A segunda onda da mostra Arte, Mobilidade e Interatividade, apresentada pelo Nokia Trends, reúne artistas multimídia que produziram obras inéditas e sem precedentes para o compartilhamento e participação durante o evento, desde a sua abertura, sem interrupção, rompendo as fronteiras entre a pista e o recinto expositivo. Veja detalhes abaixo:
 
Máquina de Ver, por Lucas Bambozzi
Uma obra baseada em técnicas de live vídeo e web cinema que são produzidas por um míni-Zeppelin que carrega um aparelho Nokia N95 e o utiliza como câmera de alta resolução. A Máquina de Ver foi criada por Lucas Bambozzi, que adaptou o dirigível para sobrevoar e registrar o Nokia Trends do alto.
 
O aparelho Nokia N95 teve seu sistema operacional modificado pelo artista, que o transformou em um controle remoto, acoplado ao dirigível, fazendo dele um olho mecânico que sobrevoa o ambiente do evento e transmite as imagens captadas também pelo aparelho Nokia N95, para o espaço expositivo. Essa transmissão pode ocorrer tanto de forma consecutiva, em que as imagens gravadas são exibidas em sessões imediatamente posteriores à captação, quanto em tempo-real, por meio de video streaming.
 
Mutance, por Helga Stein

A obra de Helga Stein utiliza imagens digitais randômicas baseadas nos novos olhares e na desconstrução da forma, propostos pelo design prismado do novo aparelho Nokia 7500. A idéia do projeto trata da construção de seres mutantes com imagens e sons do público captadas simultaneamente em uma espécie de estúdio por quatro image-makers, com a ajuda de um software desenvolvido pela equipe da artista. Cada pessoa será registrada dançando ou se movimentando da cintura acima e cintura abaixo separadamente, gerando duas imagens enviadas via bluetooth para o banco de dados da obra. Em seguida, essas imagens e sons são projetados randomicamente, gerando seres aleatórios.
 
XXX – Xpanding Xina from Xangai, por Eder Santos

O artista Eder Santos traz ao Nokia Trends imagens em vídeo e foto captadas em Xangai com o aparelho Nokia N95 ao longo de 15 dias. Na área de exposição, em um telão em formato de X, as duas maneiras de captar imagens de uma mesma cena são sonorizadas por dois músicos convidados. Juntas, vão originar quatro projeções em X emitidas pelo aparelho Nokia N95.
 
As telas do X serão o pano de fundo para o público, que também terá suas imagens registradas por um sistema de iluminação que vai exibir suas silhuetas junto à multidão das imagens de Xangai e do Nokia Trends. A idéia é realizar uma perfomance que incorpore o movimento da audiência, estimulando a imaginação para que o público possa fazer seu próprio remix mental de uma viagem à cultura de Xangai.
 
Urban Laser Design, por Grafiteria e Fernando Gustavo de Lamardo

A obra em questão será executada interna e externamente ao espaço da mostra. Fernando Gustavo Lamardo sofisticou um sistema a laser criado pelo grupo americano Graffiti Research Lab para a realização de intervenções usando a estética do graffiti em distâncias de cerca de 50 metros, sem alteração do ambiente urbano. Para tanto, Fernando buscou as características do graffiti nacional por meio dos artistas da Grafiteria e redefiniu a palheta de cores e a dimensão dos aplicadores, variando as possibilidades com um material nunca utilizado por grafiteiros no Brasil.
 
Os artistas da Grafiteria, uma das principais galerias de arte urbana do país, trocarão os sprays pelos lasers e farão intervenções no Memorial da América Latina potencializando a filosofia do graffiti como arte efêmera e dialogando com a mobilidade proposta pela tecnologia que, até então, não havia se aproximado do espaço coletivo.
 
Além das obras expostas na mostra Arte, Mobilidade e Interatividade, o artista Marcus Bastos foi convidado para ser o curador e moderador do canal J.A.M.M. (Just Art Music and Motion ou Arte, Música e Movimento) do site Nokia Trends, um espaço que convida artistas digitais a se manifestarem coletivamente e dividirem suas obras, como curtas-metragens ou imagens. Além do curador, os artistas Luiz Duva, Milena Szafir, Rogério Borovik, Nacho Duran e Renata Pedrosa vão desconstruir suas próprias obras e disponibilizar seus fragmentos para que os usuários do site Nokia Trends possam acessar o canal J.A.M.M e fazerem suas mixagens – ou mashups – artísticas com a multiplicidade de expressões. Também será possível fazer download de wallpapers, screensavers e músicas para seus celulares e computadores.
 

Bitsmag